Vodafone Power Lab e Rede Nacional de Incubadoras, da Startup Portugal, fecham parceria para partilha de recursos

O Vodafone Power Lab, aceleradora de startups da Vodafone Portugal, acaba de se tornar a primeira entidade a anunciar a partilha de recursos com a Rede Nacional de Incubadoras (RNI), uma das principais medidas da Startup Portugal. A parceria vai permitir a startups incubadas na RNI o acesso a serviços e condições disponíveis na incubadora Vodafone Power Lab.

Criada no âmbito da estratégia da Startup Portugal, a RNI quer aumentar a competitividade do empreendedorismo nacional, promover a partilha de recursos físicos e de know-how, promover uma maior profissionalização de equipas e de serviços oferecidos a empreendedores e empresas incubadas. Reunindo mais de 70 incubadoras espalhadas por todo o país, a RNI quer que qualquer startup, independentemente da sua localização, tenha acesso aos mesmos serviços e condições disponíveis nos grandes centros urbanos.

Esta preocupação com a descentralização é partilhada pela Vodafone e, por isso mesmo, esta parceria entre a RNI e o Vodafone Power Lab vai permitir às dezenas de organizações que farão parte da Rede frequentar as sessões de formações e de mentoria organizadas pela aceleradora da operadora (presencialmente ou através de livestreaming), bem como frequentar os dois polos físicos disponíveis em Lisboa (Labs Lisboa, AUDAX – ISCTE) e no Porto (UPTEC). A par disso, o Vodafone Power Lab vai escolher duas startups de carácter tecnológico por ano oriundas de outras incubadoras da RNI que pretendam apoio no Go-to-market.

Esta parceria foi tornada pública ontem ao final do dia, na Final da 4.ª edição do concurso de empreendedorismo e inovação BIG smart cities, cujo vencedor foi a Parqly, startup que quer resolver os problemas de estacionamento dos grandes centros urbanos (ver anexo).

Como afirmou o CEO da Vodafone Portugal, Mário Vaz, “com esta parceira a Vodafone quer levar ainda mais longe este papel de impulsionador do desenvolvimento da economia e do empreendedorismo em Portugal”. “Queremos contribuir para uma maior profissionalização das equipas, dos serviços e do crescimento competitivo internacional destes ativos. Só conjugando esforços, partilhando conhecimentos e impulsionando a criação e a inovação é que nos podemos tornar realmente relevantes nesta área a nível mundial”, acrescentou.

Related Post

Leave a Comment:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *