TOTALSTOR apresenta Soluções Flash da EMC ao mercado

11264
0
Share:

A Totalstor acaba de apresentar aos seus clientes as Soluções Flash da EMC, que continuam a transformar a indústria de armazenamento tornando-se omnipresentes no DataCenter. A apresentação contou com a presença de clientes dos mais variados setores de actividade nacional, bem como da Diretora Geral da EMC Portugal, Isabel Reis, e do Country Manager da Totalstor, Nuno Marques.

Até agora, o armazenamento tem sido uma expansão ineficiente de silos dedicados para atender diferentes requisitos. Nenhuma matriz, incluindo a maioria das matrizes de flash, pode oferecer o desempenho consistente e previsível para as consolidar de forma segura. O armazenamento teve que ser reinventado.

O EMC XtremIO, All-flash Storage, consolida e dá resposta às necessidades atuais criando um DataCenter ágil, com a sua arquitetura única de 4º Geração. Fornece um desempenho consistente, previsível e surpreendentemente rentável que se adapta aos requisitos dos DC modernos. O armazenamento deixa garantidamente assim de ser visto como um estrangulamento na fluidez dos dados e passa a ser um facilitador para os workloads de última geração, tais como análises em tempo real, utilização intensiva de base de dados SAP/ Oracle, nuvens privadas/ híbridas, VDI´s, e desenvolvimento de aplicações.

A maioria das abordagens tecnológicas atuais exigem importantes compromissos entre custos, desempenho, agilidade e escalabilidade. As soluções flash EMC quebram as barreiras destes compromissos e são muito mais do que uma mera aceleração de processos aplicativos, mas sim uma combinação única de desempenho, automação e inteligência que permite a agilidade e valorização do negócio.

Principais vantagens:

  • Redução real da dimensão de dados armazenados (deduplicação) – optimização dos discos flash
  • Simples e fácil configuração
  • Sem necessidade de ajustes adicionais
  • Fiabilidade
  • Tempo médio de vida útil alargado
  • Eficiência – baixo consumo, footprint e necessidade de refrigeração.
  • Baixo TCO, elevada operacionalidade

 


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário