Stephen Kelly considera que as PME são ignoradas pela classe política e empresarial no Fórum de Davos

16280
0
Share:

No âmbito do World Economic Forum (WEF) com início hoje em Davos, o CEO da Sage, Stephen Kelly, lamenta a ausência de representantes de PME e trabalhadores independentes na agenda oficial do evento e solicitou que se aumente a sua visibilidade, uma vez que estes negócios são responsáveis pela criação de dois terços do emprego na grande maioria das economias mundiais.

A confirmar esta falta de representação, um estudo global realizado pela Sage revela que 54% dos empresários portugueses de PME não considera fazer parte da tomada de decisão política nacional, um facto que a nível internacional reúne 43% das respostas de 5.540 empresários.

Quando questionados sobre a forma como os governos podem apoiar as pequenas e médias empresas, os empresários portugueses acreditam que a solução está na ‘Melhoria do modelo de tributação’ (57,3%), no ‘Apoio aos negócios através de, por exemplo, ajudas à exportação, subvenções, etc.’ (49,1%) e no ‘Financiamento de iniciativas de I&D’ (42,7%).

Em resposta a esta ausência das PME num dos eventos económicos com maior relevância internacional, a Sage lançou o ‘Forum for Business Builders’, cujo objetivo é reunir os pequenos empresários de todo o mundo numa plataforma onde terão oportunidade de partilhar as suas opiniões e experiências empresariais e criar uma só voz que possa ser ouvida à escala mundial.

Com o lançamento da plataforma, a Sage reforça o seu compromisso em continuar a trabalhar com objetivo de aumentar a visibilidade das pequenas e médias empresas e a sua aproximação ao poder político e empresarial. No passado mês de dezembro, por exemplo, a Sage acolheu um evento em Dublin, onde o atual Primeiro-ministro Irlandês, Enda Kenny, juntamente com um numeroso grupo de empreendedores debateu os desafios que os pequenos e médios negócios têm que enfrentar. Da mesma forma, realizou também dois eventos no Reino Unido onde estiveram presentes ministros e associações empresariais para discutir os efeitos do referendo sobre o Brexit na atividade dos empreendedores e pequenos empresários.

Stephen Kelly, CEO da Sage, afirma: “As pequenas e médias empresas são muito frequentemente excluídas dos debates entre políticos e líderes de opinião sobre o panorama económico internacional. Esta situação confirma-se com o World Economic Forum em Davos, onde trabalhadores independentes e PME nem fazem parte do leque de temas a abordar. Ainda mais estranho é pensar que cerca de 60% destes empresários nem tinha conhecimento do evento, quando são estes que criam dois terços do emprego em quase todas as economias e representam 98% do tecido empresarial.”

Kelly continua: “Os trabalhadores independentes e as PME são os heróis da economia. Continuam a trabalhar quando todos os outros foram para casa, fazendo sacrifícios pessoais para fazer crescer os seus negócios apoiando, desta forma, as suas famílias e comunidades. A classe política e as grandes empresas devem estar conscientes de que estes “heróis” precisam de ter apoio e visibilidade se queremos assegurar o crescimento futuro da economia global.”

Por sua vez, Luis Pardo, EVP da Sage Iberia reafirma as declarações de Kelly: “Os pequenos negócios representam uma percentagem elevada do tecido empresarial português, são os verdadeiros criadores de emprego e os responsáveis pelo crescimento das economias. Através do ‘Forum for Business Builders’ asseguramo-nos que as preocupações fundamentais dos mesmos são ouvidas, debatidas e resolvidas.”

O Forum está aberto às PME e será atualizado regularmente com novos conteúdos, opiniões e ideias dos colaboradores e assessores convidados a participar.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário