Siemens renova edifícios do Carnegie Hall com tecnologia de ponta

8536
0
Share:

Na baixa de Manhattan, no centro de Nova Iorque, erguem-se alguns dos edifícios mais famosos do mundo: o Empire State Building, o Chrysler Building, a Grand Central Station, e, claro, o Carnegie Hall – uma das salas de concertos mais conceituada do mundo. Originalmente fundada pelo magnata industrial Andrew Carnegie, este é um ponto central da cena musical internacional.

O andaime gigante que hoje rodeia o edifício é um indicador de que o marco arquitetónico se encontra actualmente no maior projeto de renovação da sua história. Trata-se de uma intervenção nas Studio Towers, as duas torres adjancentes à sala de concertos do final do século 19, que se elevam a 12 e 16 andares, respetivamente, acima do Carnegie Hall.

A participação da Siemens neste projecto consiste no fornecimento dos sistemas de gestão técnica, sistemas de segurança, bem como de partes do sistema de distribuição de energia. Apesar de a Siemens estar familiarizada com projetos semelhantes, tais como o Madison Square Garden ou o Estádio Meadowlands, este desafio tem uma dimensão particularmente interessante. Após a conclusão da obra, o edifício deverá receber uma certificação de prata em “Leadership in Energy and Environmental Design” (LEED). A certificação LEED, atribuída pelo Green Building Council dos Estados Unidos, define os padrões para métodos e materiais de construção sustentáveis. Obter esta certificação é um dos pré-requisitos do projeto para a cidade de Nova Iorque assumir parte dos custos de renovação que totalizam mais de 200 milhões de dólares.

carn2

Soluções altamente especializadas dão resposta a um desafio único

Apoiados pelo forte Know-how tecnológico e experiência comprovada, os profissionais da Siemens apresentaram soluções inovadoras e altamente especializadas para este projecto. O sistema de gestão técnica centralizada do edifício é a chave para controlar de forma económica as várias especialidades, tais como aquecimento, iluminação e energia. Além disso, o sistema é capaz de integrar perfeitamente os outros sistemas de gestão já existentes – alguns dos quais muito antigos e de diferentes fabricantes.

Richard Nowak, da divisão Building Technologies da Siemens, refere outro desafio muito específico deste projeto: “Não existem livros que nos dizem como transformar um edifício de 121 anos compatível com o padrão de construção LEED. Além disso, desde a sua construção em 1891, nunca houve plantas de construção consistentes”. Isso explica, por exemplo, como durante uma renovação anterior parte do quinto andar passou a ser o sexto andar. “De momento, os nossos gestores de projeto e eletricistas enfrentam grandes desafios com a cablagem”.

Presentemente, os profissionais da Siemens estão a trabalhar na configuração do sistema de gestão técnica centralizada do edifício para que funcione de modo otimizado e de acordo com as especificações LEED. Em 2014, logo que o projeto de renovação geral esteja concluído, os diversos sistemas poderão ser facilmente controlados de forma centralizada local ou remotamente. Um monitor na área de entrada informará os amantes de música e os vários visitantes da infra-estrutura sobre os valores atuais de consumo de energia.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário