36569 0

Siemens reforça papel de liderança na digitalização industrial

A Siemens está a reforçar a sua liderança no campo da digitalização, ao ser a primeira empresa a nível mundial a criar Centros para Aplicações Digitais para o sector industrial. Neste momento, cerca de 900 software developers, especialistas em dados e engenheiros trabalham nestes centros com os clientes da Siemens, para desenvolver inovações digitais para a análise de dados e aprendizagem automática. Estas novas soluções estão a ser desenvolvidas na plataforma MindSphere, o sistema operativo aberto baseado na nuvem da Siemens para a Internet das Coisas (IoT).

Em 2017, a empresa reforçou a sua posição na área das soluções de software e serviços digitais. As receitas provenientes das tecnologias digitais, por exemplo, aumentaram para 5,2 mil milhões de euros. Isto corresponde a um aumento, ano após ano, de 20% e significa que a Siemens claramente superou a taxa de crescimento média do mercado que se situa nos 8%.

Há cerca de um ano a Siemens introduziu o seu sistema operativo MindSphere IoT em toda a empresa, e agora cerca de um milhão de dispositivos e sistemas estão conectados através desta plataforma, prevendo-se que até ao fim do exercício de 2018 este número aumente para 1,25 milhões.

Siemens Portugal aposta em ecossistemas laboratoriais de desenvolvimento

A Siemens Portugal tem focado os seus investimentos em inovação na criação de Laboratórios Aplicacionais e Centros de Experimentação, onde os seus profissionais se juntam a clientes, parceiros, alunos e investigadores com o objetivo de desenvolver novas tecnologias para as áreas da Indústria e das Infra-estruturas para edifícios e mobilidade, como a sinalização ferroviária.

Exemplo desta estratégia é o Building Automation Center, que a empresa desenvolveu na sua sede em Alfragide, e que consiste num laboratório para o desenvolvimento de novas soluções, aplicações e formação em gestão de edifícios e infra-estruturas inteligentes que possibilitam a simulação de ecossistemas, tais como os característicos do sector da saúde.

Outro exemplo são os I-Experience 4.0 Centers que a empresa está a desenvolver em Alfragide e Leiria. Estes centros tecnológicos de experimentação, que visam apoiar o desenvolvimento de projetos destinados à indústria, fazem parte da Academia Siemens 4.0, uma das medidas estratégicas apresentadas pelo Governo que resultaram da iniciativa Indústria 4.0.

Siemens AG reforça investimento em inovação

Para acelerar ainda mais o processo de inovação, em 2018 o orçamento da Siemens para Investigação & Desenvolvimento (I&D) será reforçado com um investimento adicional de cerca de 450 milhões de euros. Assim, os investimentos em I&D aumentarão para mais de 5,6 mil milhões de euros.

Para o ano fiscal de 2018, a Siemens reservou cerca de 500 milhões de euros para investigar e desenvolver tecnologias vitais para a empresa, visando áreas de inovação como a manufatura aditiva, robótica autónoma, análise de dados, inteligência artificial, gémeos digitais e ainda eletrónica de potência e sistemas de energia distribuídos. No ano fiscal de 2017, a Siemens contava com cerca de 40 mil colaboradores de I&D em todo o mundo.


Bruno Fonseca

Bruno Fonseca

Notícias Relacionadas

Information Builders posicionada como líder do mercado no BARC

A Information Builders foi classificada líder no mercado no BARC Score Enterprise Business Intelligence and Analytics Platforms. Na sua terceira edição, a BARC Score, desenvolvida pelo European Business

EIT Health: Dois mil milhões de euros para ideias inovadoras

O Instituto Pedro Nunes (IPN) e a Universidade de Coimbra (UC) apresentaram ontem em sessão pública os principais concursos do programa europeu EIT Health, que vai apoiar ideias

DPDgroup em Portugal com faturação de 66 milhões de euros em 2017

O DPDgroup, que detém as empresas Chronopost e SEUR em Portugal, encerrou o exercício de 2017 com uma faturação de 66 milhões de euros, o que representa um

Zalando anuncia a abertura de centro tecnológico em Lisboa

A Zalando, uma plataforma de moda online, vai expandir as operações tecnológicas para Portugal, com a abertura do terceiro centro tecnológico internacional, no início de 2018, na cidade

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *