SAS líder no Magic Quadrant da Gartner 2015 em Business Intelligence e Analytics

10736
0
Share:

O SAS foi incluído no relatório Magic Quadrant da Gartner 2015 em Business Intelligence e Analytics no Quadrante de Leaders e destacou-se pela oferta completa e inovadora no eixo da visão.

O objetivo do SAS é criar Soluções que combinam um profundo conhecimento das questões específicas dos negócios com a Analítica. O enorme e crescente portfólio do SAS vai ao encontro das necessidades de Instituições Financeiras, Áreas do Retalho, Agências Governamentais, Fabricantes, Sector de Energia, Hospitais, Farmacêuticas, Empresas de Telecomunicações, Hotéis e muito mais.

“As soluções SAS de Business Intelligence e Analytics são utilizadas por uma grande variedade de organizações de inúmeras indústrias”, disse Jim Davis, Vice-Presidente Executivo e Diretor de Marketing do SAS. “Ter empresas a implementar o nosso Software em todo o mundo é a melhor legitimação do SAS. Os nossos clientes utilizam SAS para ir ao encontro tanto das necessidades das empresas de TI como dos requisitos de negócio para exploração dos dados “

O Magic Quadrant 2015 para Business Intelligence e Analytics centra-se na visualização, relatórios e análises que são descritivas e diagnosticadas, visando sobretudo analistas de negócios. O SAS Visual Analytics foi avaliado para esta pesquisa.

Análise Avançada de Liderança

Na semana passada, o SAS foi também nomeado líder no Magic Quadrant da Gartner 2015 para Advanced Analytics Platforms, que se dirige a um segmento de mercado diferente, incluindo análises preditivas e prescritivas utilizadas por estatísticos, investigadores científicos e outros profissionais de Análises Analíticas.

“O SAS tem o maior portfolio de análises avançadas na indústria que oferece uma série de capacidades, muitas delas feitas para funções específicas, tais como forecasting e text mining” disse Davis.

A Gartner define análises avançadas como “a análise de todo o tipo de dados, através de métodos quantitativos sofisticados (como por exemplo técnicas estatísticas, analise descritiva e preditiva e métodos de simulação e otimização), para gerar insights, que as abordagens tradicionais de Business Intelligence (BI) – como a consulta e a apresentação de um relatório – não conseguem descobrir”.

 


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário