S21sec colabora com organismos internacionais para desmantelar organização cibercriminal do Dridex

10824
0
Share:

A S21sec colaborou numa operação conjunta com organizações internacionais como a Europol, o FBI e a Guarda Civil espanhola, com o objetivo de desmantelar a rede de cibercrime responsável pelo trojan Dridex.

Liderada por um cidadão de nacionalidade moldava, detido no Chipre e acusado formalmente de conspiração criminosa, a maioria dos elementos desta organização é proveniente dos Estados Unidos da América, e segundo dados do FBI, os ataques em solo americano resultaram em perdas superiores a 10 milhões de dólares. Na Europa, a S21sec apurou mais de 155 países afetados e mais de 344 computadores comprometidos, com Reino Unido (cerca de 110,800 infeções), França (mais de 61,800 infeções), EUA (cerca de  24,000 infeções) e mais tarde Espanha (com quase 5,700 infeções), a serem os países com maior número de incidências. Em Portugal, segundo informações vinculadas por Pedro Leite, Vice Presidente da S21sec para Portugal, foram observadas infeções que afetaram entidades nacionais, não tendo contudo sido detetada nenhuma de atividade fraudulenta.

O trojan Dridex é um malware complexo, cuja atividade se baseia principalmente no roubo das credenciais bancárias dos utilizadores através dos sites das entidades bancárias ou de webinjects. No entanto, tem sido também utilizado para outros fins, como o roubo de documentação em setores mais sensíveis como organizações governamentais, redes hospitalares, serviços de advocacia, entidades de gestão de direitos de autor e empresas do setor aeronáutico.

A S21sec foi a única empresa ibérica envolvida nesta operação e segundo Xabier Mitxelena, CEO da S21sec, “graças à nossa experiência em matéria de deteção de fraude e análise de malware e à utilização de ferramentas avançadas, fruto do desenvolvimento nos nossos laboratórios próprios, conseguimos contribuir para interromper a atividade desta organização internacional de cibercrime. Este foi um processo complexo, uma vez que o trojan Dridex operava em vários países. O resultado conseguido incentiva-nos a continuar no esforço diário para ajudar os nossos clientes e a sociedade em geral a prevenir e evitar novos riscos”.

No mês em que a Europa promove a cibersegurança, o resultado desta ação vem reforçar a importância do trabalho conjunto entre as empresas especializadas neste setor e os organismos internacionais na deteção e desmantelamento das organizações cibercriminosas.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário