S21sec alia-se a projeto internacional No More Ransom

10032
0
Share:

A S21sec anuncia a sua integração no projeto No More Ransom (NMR) lançado em julho passado pela Polícia Nacional Holandesa e pela Europol, em conjunto com outros fornecedores de segurança. Este projeto, no qual estão envolvidos mais de trinta parceiros dos setores público e privado e um total de 22 países, introduz um novo nível de cooperação na luta contra o ransomware, o malware mais prejudicial dos últimos tempos.

O recente relatório sobre as tendências para 2017 elaborado pelos especialistas da S21sec confirma que no próximo ano serão detetadas mais de 150 novas famílias de ransomware”, destaca Agustín Muñoz-Grandes, CEO de S21sec. “Estamos perante um malware muito virulento e que está a provocar danos terríveis a particulares e empresas de todo o mundo. Um projeto colaborativo internacional como o No More Ransom é uma fórmula extraordinária para o combater, partindo da união entre o setor público e o privado e partilhando conhecimentos e ferramentas de proteção.

No site www.nomoreransom.org criado especificamente para o projeto, os utilizadores podem encontrar informação sobre o que é o ransomware, como se proteger e quais as ferramentas gratuitas disponíveis para ajudar a decifrar os dispositivos que foram bloqueados ou encriptados por este malware. Recentemente, e graças à entrada de novos parceiros no projeto, foram adicionadas 32 novas ferramentas para decifrar arquivos, que se vêm juntar às oito disponíveis até ao momento, e através das quais mais de seis mil pessoas conseguiram recuperar os seus registos, segundo dados da Europol.

Para além de uma ampla lista de fornecedores de segurança de âmbito privado, no projeto No More Ransom participam entidades públicas e associações, assim como entidades policiais de diversos países.

Os especialistas da S21sec alertam para as últimas tendências que têm vindo a ser detetadas no comportamento do ransomware:

As famílias de ransomware de tipo “cerber” descem ligeiramente na prevalência, enquanto as do tipo “locky” crescem, contudo sem grandes impactos;

Multiplicam-se os casos de infeções por ransomware em equipas de backup, o que obrigada a alertar os utilizadores e empresas para a importância das desinfeções totais ou completas antes de redefinir as equipas.

A nível de extorsões, os ciberespecialistas alertam sobre a atual tendência passar pelo facto de serem os criminosos a solicitar ao utilizador que infeste outros para que possam ver devolvidas as suas palavras-chave e recuperados os seus arquivos. Os especialistas advertem para o perigo desta tendência, que se ao não ser travada pode provocar uma maior extensão do problema.

Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário