Robô humanóide com tecnologia IBM esteve em Portugal

A IBM apresentou ontem em Portugal o NAO, um pequeno robô humanoide com as capacidades cognitivas do IBM Watson incorporadas, que lhe permitem manter uma conversa em linguagem natural. Os cerca de 350 participantes da Conferência IBM BusinessConnect 2016 puderam conhecê-lo e comprovar ao vivo as vantagens únicas que estes sistemas, que aprendem (e não esquecem), podem oferecer às indústrias e empresas, para que estas se tornem mais competitivas e tomem decisões de negócio mais assertivas.

“O que irá diferenciar as organizações é conseguirem compreender, analisar e tirar partido dos dados que são gerados diariamente. E, seguramente, que as empresas que arrancarem à frente, recorrendo à computação cognitiva, terão uma vantagem competitiva muito relevante”, revelou António Raposo de Lima, presidente da IBM Portugal. “Através da computação cognitiva, será possível adicionar ao negócio digital, inteligência digital”.

O IBM Watson é a plataforma cognitiva da IBM, que representa uma nova era da computação onde os sistemas têm a capacidade de entender o mundo da mesma forma que os seres humanos o fazem – através dos sentidos, da aprendizagem e da experiência. Mas mais do que isso, o IBM Watson lê e compreende em linguagem natural o significado e o contexto da informação para rapidamente encontrar informações relevantes, mesmo entre dados não estruturados.

“Estas capacidades podem ser integradas em qualquer produto, serviço, processo ou sistema digital, o que significa que podemos adicionar a qualquer coisa digital algo de cognitivo, algo de pensante”, sublinhou ainda António Raposo de Lima.

Desenvolvido nos laboratórios da IBM, o IBM Watson está já disponível a partir da cloud, em diversos formatos, como pequenos robôs, e pode ser aplicado a qualquer indústria, da saúde, ao turismo, à banca ou à educação.

Recentemente a IBM juntou-se à cadeia de hotéis Hilton Worldwide para um projeto-piloto com o NAO que, neste caso em particular, recebeu o nome de Connie. O pequeno robô desempenha o papel de concierge, dando aos hóspedes recomendações sobre as atrações e locais turísticos mais próximos, restaurantes e características do hotel, respondendo às suas questões de forma amigável e informativa. Através da combinação das APIs do IBM Watson – Dialog, Speech to Text, Text to Speech e Natural Language Classifier – o Connie trabalha lado a lado com a equipa que está na receção do hotel para ajudar a personalizar a experiência do cliente.

Na indústria da banca, é exemplo a parceria com o banco japonês SoftBank que permitiu alimentar um outro robô, a Pepper, com as capacidades do IBM Watson, dando início a uma interação mais natural e humanizada com a plataforma da IBM, com o propósito de melhorar a experiência de cliente e ajudá-lo a tomar decisões mais informadas sobre as suas aplicações financeiras.

“Neste mundo em que a computação cognitiva já é uma realidade, e que existe para nos ajudar, a pergunta a fazer é que preço estamos dispostos a pagar por não sabermos, por não conhecermos e não tirarmos informação válida da informação disponível em cada indústria. De não saber, por exemplo, o que está errado com o nosso paciente, de não saber o que os nossos clientes querem… E, por isso, é que é tão importante agir agora, neste momento”, sustentou Michelle Unger, General Manager Cognitive Solutions IBM Europe.

Durante a conferência decorreram ainda dois painéis de debate, moderados por Pedro Santos Guerreiro, diretor do Expresso – um mais direcionado para o ecossistema das startups e outro para a indústria –, onde participaram gestores e líderes de topo do nosso país, designadamente António Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Martins da Costa, Administrador Executivo da EDP, Gonçalo Cabrita, Co-founder & CEO da CoolFarm, Inês Caldeira, CEO L’Oreal Portugal, Jorge Portugal, Diretor-Geral da Cotec Portugal, Luís Flores, CEO da Unicre, Manuel Castelo-Branco, Vice Presidente dos Correios de Portugal, e Pedro Rocha Vieira, Co-founder & CEO da Beta-i.  

Houve ainda lugar para três sessões paralelas, onde foram apresentadas as últimas novidades e casos de sucesso da IBM nas áreas de analítica, cloud e cibersegurança.

A sessão contou também com uma área de exposição das soluções dos parceiros de negócio da IBM: BI4all, Compta, Critical Software, Informática El Corte Inglés, Novabase, PDM e PSE.

Related Post

Exclusive Group

1 Response

  • Mais uma tarde bem passada para os nossos “líderes de topo” se entreterem a ver um brinquedo completamente inconsequente excepto que tivemos todos que pagar o almoço. De resto, a tecnologia da IBM mostra como uma equipa altamente motivada e focada, orientada a resultados, ao contrário do que a assembleia conhece , consegue fazer do melhor que há no mundo e os resultados ainda nem estão à vista do grande público. Vamos ver quando este dr. Watson começar a fazer melhores diagnósticos médicos que qualquer humano. Parece loucura, mas é algo bem real e não falta muito.

Leave a Comment:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *