Resultados líquidos da IFS crescem 14% no primeiro trimestre do ano

7568
0
Share:

A IFS apresentou hoje os resultados referentes ao primeiro trimestre do ano. Os valores apresentados vêm demonstrar um crescimento sólido das licenças resultante da estratégia definida e centrada em mercados em expansão, nos quais as empresas procuram para os seus investimentos em TIC, soluções altamente especializadas.

Este crescimento da IFS reflete, ainda, o crescente interesse de parceiros na distribuição da IFS Applications, pelas suas vantagens competitivas e estratégicas. Este enquadramento tem vindo a atrair grandes clientes internacionais e permitido a ampliação das atividades globais da IFS.

Em resumo, entre Janeiro e Março de 2014 – primeiro trimestre, valores já corrigidos com base no câmbio entre as respetivas divisas (SEK-EUR):

  • As receitas de Licenças ascenderam a 11,7 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 este valor foi de 9,4 milhões de euros), correspondendo a um aumento de 24%.
  • As receitas de Manutenção ascenderam aos 27,3 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 este valor foi de 24.3 milhões de euros), representando um acréscimo de 13%.
  • As receitas de consultoria foram de 36,8 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 este valor foi de 33,4 milhões de euros), representando uma melhoria de 11%.
  • As receitas líquidas ascenderam a 73,6 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 foram 67.4 milhões de euros), um aumento de 14%.
  • Os Resultados Antes de Juros e Impostos (EBIT) foram de 2,7 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 este valor foi de -10 milhões de euros).
  • O cash flow depois de investimentos foi de 14,6 milhões de euros (no 1º trimestre de 2013 foi de 8,4 milhões de euros).
  • Os ganhos por ação diluídos ascenderam a 0,065 euros (no 1º trimestre de 2013, este valor foi de –0,32 euros).

O resultado do primeiro trimestre representa um bom começo de ano e reforça a previsão de crescimento significativo de receitas de licenças e uma melhoria significativa do EBIT em 2014. A estrutura de custos da área de consultoria está também a alterar-se. Verificou-se, neste período, um aumento dos custos variáveis devido a um maior recurso a colaboradores externos, mas também uma redução de custos fixos em resultado do número inferior de consultores permanentes.

Foi ainda possível um aumento do EBIT (Resultados Antes de Juros e Impostos) neste trimestre, em resultado do crescimento de receitas e dos efeitos do programa iniciado no ano passado com o objetivo de melhorar a eficiência operacional.

As empresas estão a demonstrar um interesse significativo no mercado de soluções ERP e, aquelas que necessitam de consolidar a sua solução empresarial ou ampliar funcionalidades, estão a realizar maiores investimentos, facto pelo qual alguns analistas da indústria, como a Gartner, prevejam para 2014 um crescimento entre os 5 e 6% para o mercado de soluções na região EMEA.


Share:

Deixe o seu comentário