Radares da Indra reforçam gestão do espaço Aéreo Chinês

6424
0
Share:

A Indra acaba de assinar novos contratos para colocar os seus sistemas de vigilância radar na China. A empresa vai implementar cinco sistemas que irão reforçar o controlo do espaço aéreo em Xangai, prestando serviço à região este de China. Para além disto, irá também colocar sistemas de vigilância na zona centro-sul e em Yichuan, e ampliará o centro de controlo na rota de Xian. O valor global destes contratos ronda os 11 milhões de dólares.

Em 2010, a Indra já tinha conseguido um importante contrato para implementar 30 sistemas radar neste país, que controlam atualmente cerca de 60% do céu chinês.

Agora, a East China Air Traffic Management Bureau (ATMB), uma das sete regiões em que se divide o ATMB da Autoridade de Aviação Civil Chinesa (CAAC), encarregou-a da implementação de outros cinco radares secundários modo S, a tecnologia mais avançada na identificação de aeronaves. Estes sistemas vão reforçar o controlo do espaço aéreo da zona este da China, melhorando o fluxo do tráfego que se dirige para esta região.

Este contrato junta-se ao já adjudicado à Indra pela Middle South ATMB, para fixar um radar secundário modo S que irá cobrir a zona do Mar da China e ainda ao encomendado pela Northwest ATMB, para implementar outro sistema deste tipo em Yinchuan.

A Indra conta com o apoio da sua filial em Pequim e com uma equipa de profissionais especializados em sistemas de tráfego aéreo neste país para pôr em funcionamento os seus radares e prestar o apoio técnico necessário. A companhia irá ainda responsabilizar-se por formar o pessoal técnico da ATMB que vai operar os sistemas, de modo a assegurar o maior rendimento possível desta tecnologia.

Xian ganha controlo

A estes novos contratos de implementação de radares, há a acrescentar o facto de a Indra ter ganho o projeto de ampliação da capacidade do centro de controlo de Xian (ACC).

Os centros de controlo de Xian e de Chengdú gerem, desde 2013, o tráfego aéreo com os avançados sistemas de automatização implementados pela companhia.

O centro de Xian gere o espaço aéreo da região de Shaanxi, à qual pertence Xian, assim como o das províncias vizinhas de Ningxia e Gansu. Agora, a Indra dotará este centro das posições de controlo aéreo necessárias para que este possa também gerir o espaço aéreo superior de Lanzhou e reforce a gestão de rota e aproximação em Xian.

Relativamente ao centro de controlo de Chengdú, é um dos centros mais importantes da China. É a partir dele que se comanda o tráfego no espaço aéreo superior de cinco regiões do sudoeste do país (Yunnan, Tibete, Chongqing e Guizhou, e ainda o da própria Sichuan, província da qual Chengdu é capital). Com os equipamentos da Indra, o centro controla uma extensão equivalente à de toda a Europa Ocidental. É ainda uma zona de passagem chave para as rotas que unem a Europa a região da Ásia-Pacífico.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário