Quidgest interpõe providência cautelar contra decisão da Reitoria da Universidade de Lisboa

8536
0
Share:

A  empresa  Quidgest,  tecnológica  100%  portuguesa  com mais  de  25  anos  de  atividade  em  Portugal  e  em  mercados  internacionais,  interpôs  uma providência  cautelar suspensiva  em  relação  a  uma  decisão  da  Reitoria  da  Universidade de  Lisboa.  Em  causa  está  um  concurso  público  internacional  relativo  à  instalação  de  um sistema  integrado  de  gestão  financeira  e  de  recursos  humanos  para  a  Universidade.  A Quidgest  tem  uma  colaboração  de  longa  data  com  a  Universidade  de  Lisboa,  com soluções implementadas  em diversas escolas.

A  Quidgest  entende  que  existem  fortes  indícios  de  favorecimento  à  empresa  vencedora e ao sistema de gestão proposto,  e que é importado.

Entre  estes  indícios  contam-se  requisitos  e  critérios  do  caderno  de  encargos  e  do programa  do  concurso,  que  permitem  eliminar  muitos  dos  concorrentes  e  potenciais concorrentes, e a facilidade com que o júri atribuiu a pontuação máxima nos vários fatores à  empresa  vencedora,  enquanto  reduziu  drasticamente  a  pontuação  dos  restantes concorrentes.  Outro  argumento  relevante,  na  perspectiva  da  Quidgest,  é  a  facilidade  com que  o  júri  atribuiu  a pontuação máxima nos vários fatores à empresa vencedora, enquanto reduziu drasticamente  a pontuação  dos restantes concorrentes.

As  facilidades  concedidas  à  empresa  vencedora,  e  a  pedido  desta,  em  sede  de esclarecimentos  pelo  júri,  e  a  escolha  da  solução  concorrente  que  apresentou a proposta financeira  mais gravosa  são outros indícios  que justificam a decisão da Quidgest.

Este  concurso  público  lançado  pela  Reitoria  da  Universidade  de  Lisboa  é  parcialmente financiado  pelo  programa  COMPETE,  tendo  a  obrigatoriedade  de  se destinar a um projeto a  implementar  em  2015.  No  entanto,  a  proposta  vencedora  apenas  prevê  estar operacional  em  piloto  no  final  de  2016,  ultrapassando  largamente  a  data  limite  fixada  pelo COMPETE.

A  empresa  considera  ainda  que,  comparadas,  a  proposta  que  apresentou  é substancialmente  mais  completa  e  mais  detalhada  do  que  a proposta vencedora, ou seja, não  há  nada  que  distinga  negativamente  a  proposta  da  Quidgest  em  relação  à  da concorrente  a quem a Universidade  de Lisboa  adjudicou  o fornecimento.

Apesar  da  posição  acima  tomada,  a  empresa  mantém  e  reitera  o  seu  empenho  e disponibilidade  para  com  os  projetos  em  curso  nesta  e  em  outras  instituições  do  ensino superior.

 


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário