Profissionais portugueses mantêm-se ocupados durante o percurso até ao trabalho

9680
0
Share:

Os profissionais portugueses tentam manter-se ocupados durante o percurso até ao trabalho e no seu regresso a casa. Graças ao uso de smart devices ouvem rádio/ música (61,7%) ou fazem chamadas (54,2%). Mais de metade (52,3%) admite ligar aos familiares ou amigos e 38,3% resolver questões domésticas, como falar com o canalizador. Os colaboradores portugueses também consultam os e-mails (30,8%) ou as notícias do dia (29,9%). São as conclusões de um estudo realizado pela Regus Business Centers, com base em entrevistas a mais de 22.000 colaboradores em 100 países.

Em termos globais, as conclusões do estudo apresentam algumas diferenças. Dos 22.000 colaboradores, 59% aproveita o tempo entre deslocações para fazer telefonemas, 58% ouve música, 50% contacta a família e os amigos e 45% atualiza-se com as notícias do dia.

Curiosamente, em pequenos trajetos durante o dia, por exemplo, para reuniões, o foco está mais no trabalho, nomeadamente, nos e-mails (45%) e na leitura de documentos (37%). Os inquiridos revelaram também que são mais propensos a visitar redes sociais profissionais durante este tipo de deslocações (31%) do que no percurso casa-trabalho-casa (23%).

Atividades%20realizadas%20durante%20deslocações%20ao%20longo%20do%20dia

Já os colaboradores portugueses, nas pequenas deslocações ao longo do dia, dão prioridade às chamadas profissionais (55,1%), seguindo-se os telefonemas para familiares e amigos (49,5%) e os de resolução de questões da vida doméstica (43%). Os e-mails surgem em quarto lugar (41,1%) e depois, em ex-aequo, a atenção às notícias do dia e ouvir rádio/ música (40,2%). Há profissionais que admitem ler documentos importantes (30,8%), consultar contas pessoais de redes sociais (26,2%) e também profissionais (25,2%).

Atividades%20realizadas%20durante%20o%20percurso%20para%20o%20trabalho

Jorge Valdeira, Country Manager da Regus em Portugal, afirma: “As pessoas gostariam de poder trabalhar num ambiente profissional, discreto, perto de casa, de modo a que o tempo das deslocações fosse mais curto e a sua produtividade maximizada. Trabalhar perto de casa significa dar aos colaboradores a oportunidade de melhorar o seu trabalho, com mais equilíbrio na vida.”

A média de uma deslocação é de 32,5 minutos, comparados com os 27 minutos de há dois anos, o que leva a contabilizar mais de uma hora diária gasta para ir trabalhar.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário