Portugal conquista centro mundial de suporte da Microsoft

14960
0
Share:

Portugal foi selecionado para sedear um dos sete centros mundiais de suporte da Microsoft, prestando serviço em tecnologias Cloud para toda a Europa ocidental e de leste e África. A localização deste centro em Lisboa, na sede da subsidiária portuguesa da multinacional, representa um investimento de 21 milhões de euros por parte da Microsoft Corporation. A aposta em Portugal surge depois de um processo de reorganização e consolidação dos centros de suporte da Microsoft a nível mundial, que passaram de vinte e um para sete. As razões para a escolha do país são a qualidade e capacidade dos seus recursos humanos, e também uma boa relação de produtividade no contexto qualidade-custo.

Este centro de suporte empresarial (Customer Support Center) já existia em Portugal, mas quase triplicou a sua dimensão nos últimos dois anos, e a tendência é para continuar a crescer a um ritmo acelerado, uma vez que presta serviço de apoio à tecnologia Cloud – Office 365 e Azure – aquela que mais cresce em Portugal e no mundo. Em dezembro de 2013, a Microsoft contratou 25 técnicos altamente especializados, crescendo o centro de então para 110 pessoas; em julho de 2014 a equipa foi reforçada com 15 recém-licenciados e em outubro de 2014 a Microsoft Portugal assinou um Memorando de Entendimento com a AICEP e Ministério da Economia, tendo assumido o compromisso formal de fazer crescer o centro para 200 pessoas, o que levou à contratação de mais 50 profissionais; agora, a Microsoft acaba de concluir mais uma expansão, com a contratação de mais 30 técnicos.

Hoje, o centro de suporte conta com 230 profissionais altamente especializados e representa um investimento anual de 21 milhões de euros.

Na opinião de João Couto, diretor geral da Microsoft Portugal, ‘este investimento é extremamente importante para a Microsoft Portugal e para o nosso País, que se posiciona como um centro de nearshore num contexto europeu ou mesmo mundial, extremamente atrativo para este tipo de investimentos’. E remata “o potencial de crescimento deste tipo de serviços é muito elevado, por mérito próprio do nosso contexto económico-social, mas também porque estamos a trabalhar as tecnologias mais promissoras para a empresa. Por isso, estamos muito otimistas para que no futuro possamos continuar a atual rota de crescimento da importância dos serviços de alta qualidade que se prestam em e a partir de Portugal”.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário