PMEs confiam cada vez mais em SaaS para garantir segurança

21120
0
Share:

O último estudo da Kaspersky Lab revela a necessidade de as PMEs preencherem o vazio que existe entre os orçamentos reduzidos que têm para a segurança nas TI e a pouca experiência na área – isto para fazerem frente ao aumento das ameaças de ataques online, cada vez mais frequentes. O estudo deixa claro que, embora mais de metade (54%) das PMEs acredite que a sua segurança na área das TI estará comprometida em determinado momento e que a preparação é essencial, cerca de 40% admite que lhes falta a visão ou a informação acerca das ameaças com que o setor se depara.

“A Evolução do Papel do SaaS e do Outsourcing das TI nas PMEs” levanta o véu sobre as ameaças que as PMEs enfrentam no contacto com o universo desafiante e complexo da segurança cibernética, sempre em crescimento. Mais de metade (55%) das PMEs tem preocupações relativas à forma como tendências como a adoção do BYOD tornam a gestão da segurança mais difícil, e um número equivalente (49%) admite sentir-se vulnerável a incidentes de terceiros que afetem os serviços de cloud que utilizam.

No que respeita ao cenário das ameaças, o estudo mostra que a perda de dados internos e confidenciais é a principal preocupação de quase metade (48%) das empresas. Esta preocupação é certamente justificável tendo em conta os ataques atuais experienciados pelas PMEs: cerca de 41% já foi infetada com vírus e malware que diminuem a produtividade de forma significativa.

A Kaspersky Lab conduziu este estudo a nível global e em parceria com o B2B International, chegando, desta forma, a 4.395 executivos em 25 países. Em resposta a novas e emergentes ameaças, as PMEs procuram reforçar a sua proteção, ainda que metade (50%) não preveja orçamento adicional para contratação de peritos em segurança e apenas 10% acredite que vai existir um aumento de orçamento disponível para esta matéria.

Para as PMEs que não têm os recursos internos necessários – ou não têm orçamento disponível -, o Security as a Service (SaaS) pode ser a solução, com quase metade (40%) das empresas a depositar a sua confiança em terceiros que cuidem das suas infraestruturas e processos de TI. O estudo mostra, também, que aqueles que consideram o serviço cloud e o BPO (Business Process Outsourcing) prioridades estão, consideravelmente, mais satisfeitos com a eficácia da consultoria de segurança (62%) e com os MSPs (59%). Cerca de 17% não tenciona utilizar um fornecedor externo de serviços de segurança na área das TI, no entanto, quase um quarto (23%) prevê esta mudança nos próximos 12 meses.

Alfonso Ramírez, Diretor da Kaspersky Lab Ibéria, afirma que “o estudo mostra que as PMEs se deparam, atualmente, com um elevado número de desafios no que respeita à proteção dos seus negócios das ameaças de segurança. Por um lado, têm geralmente poucos recursos, orçamentos e peritos em segurança, o que os pode tornar atrativos junto dos hackers. Por outro lado, o aumento da complexidade dos ambientes de segurança, que resultam de tendências como, por exemplo, o maior número de dispositivos móveis que precisam estar protegidos, exige ação. Isto mostra a importância de gastar orçamentos de forma inteligente e olhar para outras opções para manter a vigilância e obter a proteção de que precisam. Utilizando a opção de SaaS no âmbito da segurança, as PMEs podem tirar vantagens do Endpoint da solução de segurança sem necessitarem de elevados orçamentos.”

O Kaspersky Endpoint Security Cloud fornece às PMEs uma forma simples e intuitiva de terem vantagens no que respeita a tecnologias de prevenção, através de uma gestão dos seus processos de segurança na área das TI baseada na cloud.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário