Piso que desacelera veículos e cria energia é o vencedor da 5.ª edição do Big Smart Cities

37752
0
Share:

A startup portuguesa Pavnext é a grande vencedora da 5.ª edição do Big Smart Cities, competição de empreendedorismo e inovação promovida pela Vodafone e pela Ericsson, com o apoio de Cascais, cuja final se realizou ontem com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, do Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, do CEO da Vodafone, Mário Vaz, e do Presidente da Ericsson, Pedro Queirós.

Criada por um engenheiro eletrotécnico (Francisco Duarte), um gestor (João Champalimaud) e uma designer (Sílvia Soares), a Pavnext está a desenvolver um equipamento para pisos rodoviários que aproveita a energia cinética dos veículos, reduzindo a sua velocidade.

Além de promover a segurança rodoviária, a energia captada é convertida em energia elétrica ‘limpa’, que pode ser direcionada, por exemplo, para a iluminação pública. O sistema da Pavnext permite, ainda, gerar dados de tráfego e de velocidade, da energia gerada e consumida, possibilitando a criação de relatórios e a otimização de consumos energéticos em tempo real.

A par do primeiro prémio, foram ainda atribuídas mais duas distinções (no valor de 2500 euros) e uma menção honrosa. São elas:

Prémio Vodafone – Tram Grid, carregador rápido de veículos elétricos que se ‘alimenta’ das redes aéreas dos elétricos / comboios para gerar energia;

Prémio Ericsson – Smart Forest, solução de rede integrada de sensores, cuja informação pode ser facilmente consultada e utilizada, por exemplo, para a mitigação do risco de incêndio;

Menção honrosa (Prémio do público) – Tibu, aplicação móvel que conecta viajantes independentes a pessoas locais com experiência.

Com a vitória na Final de ontem, no Centro Cultural de Cascais, a Pavnext vai agora ficar incubada no Vodafone Power Lab, ‘laboratório’ de inovação da Vodafone Portugal que apoia projetos empreendedores. A par disso, vai viajar até Estocolmo para conhecer a sede da Ericsson e os seus polos de inovação, bem como beneficiar do prémio de 10 mil euros para começar a tornar real a sua solução rodoviária para as cidades do futuro.

A par disso, a partir de setembro, os vencedores e a Câmara Municipal de Cascais vão agilizar processos para que as startups possam testar os seus projetos-piloto no município, naquela que será a primeira cidade experimental para startups.

Criada em 2013 para captar ideias tecnológicas que visam melhorar o dia a dia de quem vive, trabalha ou visita uma cidade, a 5.ª edição do BIG Smart Cities foi, até à data, a que registrou o maior número de candidaturas de sempre, com a participação de quase 240 equipas.

Os 20 finalistas que ontem lutaram pelo reconhecimento do júri foram apurados por inscrições online, mas também em vários eventos realizados durante os meses de abril e maio em Braga, Porto, Évora, Coimbra e Lisboa.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário