Organizações europeias enfrentam penalizações por incumprimentos

9944
0
Share:

Cerca de 88 por cento das empresas esperam ser alvo de uma auditoria em termos de licenciamento de software nos próximos 12 meses, segundo um inquérito da CA Technologies, realizado durante o Gartner European Gartner Procurement, Financial and Asset Management Summit. 85% das companhias foram já auditadas o ano passado, o que significa que estes procedimentos de controlo são cada vez mais recorrentes.

De acordo com este estudo, as empresas não estão devidamente preparadas para gerir as suas licenças de software. 76 por cento dos inquiridos admitiu sentir dificuldades na identificação do software que não está a ser usado, bem como na redistribuição das licenças dentro da sua organização. Para além disto, 77 por cento das empresas admitiu ser difícil gerar os relatórios das auditorias e as respostas. O estudo revelou ainda que 78 por cento das empresas inquiridas acreditam que a punição financeira, em caso de existência de incumprimentos relativos aos ativos de TI, seja alta.

“As práticas de gestão de ativos de TI que existem atualmente são claramente inadequadas, uma vez que deixam as empresas totalmente expostas a consequências verdadeiramente indesejáveis, disse Helge Scheil, senior vice president, de Service and Portfolio Management, EMEA, na CA Technologies. “Este estudo acaba por sublinhar a necessidade dos clientes adotarem tecnologias que os ajudem a otimizar e a automatizar estas práticas, para que posteriormente consigam gerir mais facilmente as auditorias sobre os ativos tecnológicos, extraindo mais valor e proveito dos investimentos já efetuados em tecnologia.”

O estudo realizado pela CA mostra ainda que 43 por cento das empresas fazem o seguimento do software que possuem através de processos manuais, ou através de ferramentas departamentais que acabam não só por conduzir a um aumento dos custos, mas também ao risco de incumprimentos em termos de licenciamento de software. Esta abordagem de trabalho intensiva e fragmentada acaba por prejudicar e afetar a capacidade das empresas controlarem e gerirem, de uma forma proativa, o ciclo de vida dos seus ativos tecnológicos, fornecedores e seu historial, os detalhes contratuais, a correta distribuição das licenças de software, e os aspetos relativos ao custo dos seus ativos.

Para evitarem incumprimentos em termos de ativos de TI, bem como as consequentes penalizações financeiras, as organizações necessitam de uma solução de gestão de todo o ciclo de vida dos ativos, que inclua a gestão financeira, de fornecedores, contratos e licenças para obter a necessária visibilidade e controlo sobre a sua base de activos TI.

Soluções como o CA IT Asset Manager permitem que as empresas consigam determinar com precisão e eficiência quais os ativos que estão disponíveis e quais os que estão em uso, melhorar a distribuição organizacional desses ativos e aumentar a produtividade relativa à realização dos relatórios de licenciamento e respostas em contexto de uma auditoria. Isso garante que as empresas possam reduzir o risco de incumprimentos face ao licenciamento de software, e possam otimizar o custo, gestão e distribuição de ativos existentes, evitando aquisições adicionais desnecessárias, ao adequarem de forma correta a oferta existente à procura real.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário