31816 0

Opinião: Poderão os softwares de gestão empresarial garantir a sustentabilidade do seu negócio?

Os escândalos do retalho captam a atenção do público mais rápido que a recolha de um produto de primeira linha. No caso dos produtos alimentares, esta questão torna-se mais relevante já que podem colocar a nossa saúde sob risco. Nos últimos anos verificaram-se um conjunto de histórias que se enquadram neste tema tais como a carne de cavalo nos produto da McDonald’s no último verão, apenas mencionando uma.

As recolhas continuam a representar um desafio importante para as organizações – desde a comida e bebidas às farmacêuticas, químicos, e manufactura aerospacial. As recolhas para a indústria alimentar na Europa, por exemplo, cresceram 16 por cento durante o último trimestre do ano passado. Para 81 por cento dos produtores inquiridos pela Grocery Manufacturers Association as recolhas são processos a evitar, pois são complexos e dispendiosos para qualquer organização.

Felizmente a tendência verificada na indústria é para agir, cumprindo com os regulamentos. Muitos produtores têm seguros contra perdas devido a recolhas de produto, mas é primordial que consigam desenvolver sistemas efectivos para o seguimento dos produtos e assim limitar o tamanho e a abrangência destas recolhas. Na verdade, muitos dos escândalos que lemos acerca das recolhas, poderiam ser evitados com uma solução centrada na gestão de qualidade e na recolha de informação de cada produto. As recolhas são um verdadeiro teste aos ERP dos produtores e à sua capacidade para implementar uma cadeia de controlo dos produtos recolhidos por forma a garantir a qualidade de todo o processo.

Enquanto uma série de soluções de ERP estão, supostamente, equipadas para o processo de recolha de um produto não têm, contudo, em consideração as complexidades reais enfrentadas pela indústria. É vital, portanto, o uso de um sistema de ERP especificamente concebido para este aspecto oferecendo rastreabilidade integrada – desde a cadeia de produção até ao produto final.

Estar preparado para uma recolha implica ter uma cadeia de rastreabilidade que permita que o fabricante acompanhe e aceda a toda a informação desde o lote do produto, número de série, datas de validade, os materiais e os acabamentos, entre outros aspectos. Assim, com informação suficiente, é possível isolar os produtos, componentes, subcomponentes e outros aspectos envolvidos na recolha. Estes sistemas devem ser a base natural para o armazenamento e acesso de informação dado que abrangem toda a cadeia de valor, em múltiplos processos de procurement, produção, qualidade e gestão de supply chain. Por outras palavras, o sistema ideal contempla todo o processo dos materiais de produção – desde a sua origem até o que foi feito com eles.

Construir uma cadeia de rastreabilidade efectiva implica obter a informação certa. Isto explica o porquê de ser tão importante a utilização de parceiros com os sistemas mais avançados para a recolha de informação e a sua análise. Sem o suporte de um robusto código de barras ou ferramentas de scan de RFID, recolher estas informações será um processo dispendioso e uma tarefa altamente complexa.

Igualmente complicado e com elevados custos é o acesso ou consolidação da informação a partir de aplicações fragmentadas ou folhas de análise isoladas. Assim, como solução consolidada, o sistema de ERP deve oferecer qualidade de gestão integrada, quality assurance e recibos sobre este processo de gestão para uma rastreabilidade mais proactiva e medição de qualidade sendo que o sistema de

ERP deve providenciar a informação necessária para o processo de fabrico, incluindo regulações como HAACP, FDA, USDA e REACH.

Existem diversos argumentos para a implementação de uma cadeia de rastreabilidade efectiva – pelo menos a habilidade de isolar problemas antes de eles se avolumarem, protegendo as suas operações e/ou colocar a integridade da sua marca sob risco. Rapidez e rastreabilidade eficiente são as características que tornam um fornecedor mais desejável para OEMs e providenciam insights mesmo nas mais pequenas alterações em termos de qualidade de produto, permitindo a monitorização de processos e o afinamento de todas as operações.

A implementação da rastreabilidade, deve ser feita, contudo, de uma forma eficiente e que alimente a informação numa suite integrada de aplicações para consolidar o acesso à informação. Uma suite de ERP completa e profunda é um excelente framework para reter, aceder e utilizar informação rastreável. Com estes aspectos, se juntarmos uma eficiente recolha de informação, conseguimos criar uma base suficientemente forte para a melhoria de todas as operações assegurando que os problemas de hoje não constituem os de amanhã.


Gustavo Brito

Gustavo Brito

Managing Director da IFS Ibérica

Notícias Relacionadas

Opinião: Business Intelligence e Business Analytics – duas faces da mesma moeda

O Business Intelligence, tal como o Business Analytics, são ferramentas que estão pensadas para ajudar as organizações a conhecerem o seu negócio. Conhecer o desempenho do negócio e

Opinião: 2016, o ano do device mesh!

Se 2015 ficou marcado pelo explodir do conceito de Internet das Coisas (IoT) com um sem número de equipamentos interligados, 2016 caminha cada vez para ser o verdadeiro

2015 – O Ano da Cloud Híbrida

O ano de 2014 acabou por ser, para muitas organizações, um ano de abordagens a este tipo de arquiteturas com inúmeros casos de sucesso, bem como uma ano

Opinião: O futuro começa hoje

Num mercado em constante mutação, a incapacidade de adaptação ou a falta de dinamismo podem ser rastilhos para o fim dos negócios. Num exigente cenário que impõe cada

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *