NEC junta indústrias e universidades da Europa para desenvolverem uma arquitetura de rede móvel multisserviços para a era 5G

9680
0
Share:

A NEC, fornecedores do setor das telecomunicações, operadoras, empresas de TI, pequenas e médias empresas e universidades da Europa, uniram forças para desenvolver uma nova arquitetura de rede móvel, adaptável e evolutiva, para a era 5G. Fazendo parte da iniciativa 5GPPP Europeia, o 5G NORMA (5G NOvel Radio Multiservice adaptive network Architecture) irá propor uma arquitetura completa que tenha em consideração aspetos tanto da Rede Rádio de Acesso (Radio Access Network – RAN) como da rede core. Este consórcio irá trabalhar durante um período de 30 meses, que se iniciou em julho de 2015, de forma a cumprir os objetivos fundamentais para a criação e disseminação de conceitos inovadores sobre a arquitetura de rede móvel para a era 5G.

As redes 5G precisam de responder a uma panóplia de requisitos extremos

A revolução para o 5G abrange um panorama heterogéneo de comunicações, com novos requisitos de serviço que procuram conjugar tecnologias potenciadas pela cloud, com os serviços móveis tradicionais. As ambições de desempenho para o 5G exigem maiores volumes de dados, uma latência muito baixa ao nível dos serviços, uma ubiquidade de dispositivos de comunicação, uma massificação da conectividade, uma elevada fiabilidade e a redução do consumo de energia. Pretende-se que os sistemas 5G forneçam serviços personalizados, centrados no utilizador, a um preço acessível, num esforço para superar as necessidades sociais fundamentais, em setores como o dos transportes, da saúde e do ambiente. Para endereçar a complexidade destes requisitos de serviços, será indispensável uma nova arquitetura de rede móvel com uma flexibilidade adequada para lidar eficientemente com múltiplos serviços e utilizadores em simultâneo.

5G NORMA: Uma nova arquitetura de rede rádio multisserviços adaptativa

Com o 5G NORMA, as principais instituições da indústria e da academia em termos do ecossistema das redes móveis, têm por objetivo assegurar uma posição de liderança da Europa no 5G. A abordagem NORMA afasta-se do paradigma rígido das redes tradicionais, introduzindo a capacidade de adaptação tanto da rede RAN como da rede Core pela adaptação das funções de rede e dos recursos aplicacionais aos requisitos do serviço, considerando as variações da procura de tráfego em função do tempo e da localização, incluindo a capacidade de fronthaul/backhaul.

As entidades envolvidas preveem que a arquitetura do 5G NORMA permita níveis de personalização da rede sem precedentes, para garantir o cumprimento rigoroso de requisitos de desempenho, segurança, custo e energia. Também proporcionará uma arquitetura aberta baseada em APIs, promovendo o crescimento económico através da inovação e do suporte nativo de múltiplos fornecedores.

A abordagem técnica baseia-se no conceito inovador de (de)composição e de atribuição adaptativas de funções de rede, considerando a computação nos extremos das redes móveis e o suporte de múltiplos fornecedores. Ao fazer isso, as funções de acesso e de core podem deixar de residir em locais diferentes sendo exploradas em conjunto de forma a otimizar o seu funcionamento, sempre que possível. A adaptabilidade da arquitetura é ainda reforçada pelo inovador controlo de rede móvel definida por software e por conceitos móveis multi-operador, sendo sustentada por demonstrações que a comprovam.

5G NORMA Resultados

O consórcio irá trabalhar durante um período de 30 meses, com início em julho de 2015. Os principais objetivos incluem a criação e divulgação de conceitos inovadores relativos à arquitetura das redes móveis para a era 5G. Alguns destes conceitos podem ser capturados em produtos ou patentes, enquanto outros poderão surgir de processos e de grupos de trabalho. A comercialização também será uma área de foco, incluindo parcerias e a criação de start-ups.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário