NASA Mars Science Laboratory: a aventura da Atos continua a bordo do ‘rover’ Curiosity

9064
0
Share:

A Atos participa diariamente com o CNES na programação dos instrumentos CHEMCAM e SAM do rover Curiosity, o cerne do projecto Mars Science Laboratory da NASA. O Curiosity explora o solo do planeta vermelho há 18 meses, com o objectivo de encontrar provas de ambientes presentes e passados favoráveis à vida, contando já com uma série de descobertas.

O Mars Science Laboratory é, sem sombra de dúvidas, a missão mais ambiciosa jamais empreendida pela NASA para explorar Marte. Dos dez equipamentos científicos do rover, dois são realizados sobre a direcção do CNES: ChemCam (análise da composição das rochas por disparo laser) e SAM (conjunto de instrumentos para o estudo de amostras de rochas recolhidas). Os especialistas da Atos integrados nas equipas do CNES, em coordenação com os engenheiros da NASA, realizam diariamente a programação e vigilância de instrumentos em voo em função dos planos de exploração definidos pelos cientistas do projecto.

Laurent Peret, Consultor da Atos, faz parte da equipa de seis engenheiros habilitados para enviar instruções a ChemCam e participar nas distintas teleconferências diárias organizadas pela NASA: “Estou muito orgulhoso por participar nesta aventura científica e tecnológica e de estar integrado na equipa do CNES que recebeu louvores da NASA pelo seu excepcional contributo para a missão Mars Science Laboratory. Encarregamo-nos da direcção do instrumento ChemCam diariamente e acompanhamos passo a passo as descobertas extraordinárias que o Curiosity proporciona.”

A programação do ChemCam permite definir a orientação da cabeça do rover, assim como outros parâmetros como o número e a potência dos disparos laser, a focalização e o índice de compressão do gerador de microimagens*, etc. Os dados recolhidos permitem analisar por espectroscopia a composição das rochas alcançadas pelo laser. O ChemCam permitiu por exemplo revelar a existência de filões de gesso no local de Yellowknife Bay. A presença deste mineral hidratado permite demonstrar que no passado circulou água líquida em Marte.

Para SAM, os tratamentos informáticos integrados pelas equipas Atos descodificam a telemetria precedente do instrumento. Os dados assim gerados permitem detectar a presença de matéria orgânica (carbono, hidrogénio, oxigénio, azoto, fósforo, enxofre) necessária à vida e habitabilidade do planeta Marte.

Segundo Jean-Marie Simon, Director-Geral da Atos França: “Estamos especialmente orgulhosos por participar nesta extraordinária missão espacial com o CNES, que confiou na Atos e elegeu-nos como parceiro tecnológico. Partilhamos os desafios do nosso cliente para quem esta colaboração com a NASA é estratégica. Pela primeira vez, uma equipa da Atos tem a responsabilidade de controlar instrumentos na superfície de um planeta extraterrestre. Para o CNES e para a Atos trata-se de demonstrar o nosso saber fazer em matéria de operações no âmbito das missões científicas interplanetárias.”

As equipas da Atos contribuíram nos últimos vinte anos para o sucesso de mais de 50 programas espaciais e colaboraram em numerosos projectos para o CNES e para os principais intervenientes industriais do sector aeronáutico (Agência Espacial Europeia, EADS, Thales Alenia Space).

Em concreto, o consórcio dirigido pela Atos foi eleito pelo CNES para desenvolver os seus futuros centros de controlo de missões espaciais, o desafio crucial dos próximos 20 anos para a agência espacial francesa.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário