28615 0

Não passo sem o meu smartphone, mesmo em férias

Em poucos anos, os smartphones deixaram de ser apenas uma ferramenta de trabalho para se tornarem num dispositivo essencial para a comunicação elementar e rotineira de todo o tipo de públicos. Este crescimento é tal, que ano após ano aumentam as suas vendas em detrimento dos computadores convencionais.

São muitas as pessoas que já não podem prescindir dos seus telefones inteligentes. De facto, dois em cada três utilizadores admitem que nunca saem de casa sem o seu smartphone, segundo um estudo recente da Kaspersky Lab, sobretudo em férias, já que se tornou num companheiro inseparável que nos permite mantermo-nos em contacto com familiares e amigos, jogar, fazer transacções na banca online, entre muito mais.

E Esta popularidade não passou despercebida aos cibercriminosos, que têm apontado todas as baterias e desenvolvido os seus ataques a pensar nestes dispositivos. Os números são alarmantes: em 2012 foi descoberto mais malware móvel que nos sete anos anteriores e o detectado durante os três primeiros meses de 2013 já supera 50% do detectado em todo o ano passado.

Os Trojans SMS que enviam mensagens de texto para números curtos de valor acrescentado continuam a ser a categoria mais difundida de malware móvel e são responsáveis por 63,6% dos ataques. Mas também cresce o número de ficheiros maliciosos que têm como objectivo roubar qualquer dado que tenha sido guardado no dispositivo, como as credenciais de acesso ao email ou às redes sociais e o roubo de dados financeiros como o número do cartão de crédito.

Como proteger o nosso dispositivo para que ninguém nos estrague o verão?

  • Não se devem usar redes Wi-Fi públicas que não sejam fiáveis
  • Vigiar sempre o lugar onde se deixa o dispositivo móvel e definir senha de acesso
  • Instalar soluções de segurança com geolocalização para encontrar o telefone em caso de perda ou roubo.
  • Instalar software que permita apagar a informação de forma remota
  • Actualizar constantemente o sistema operativo e aplicações nos smartphones,
  • Não abrir em nenhum caso links procedentes de utilizadores desconhecidos,
  • Descarregar informação, música, aplicações ou qualquer tipo de ficheiros apenas a partir de sites de confiança.

Bruno Fonseca

Bruno Fonseca

Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Notícias Relacionadas

The Economist antevê impacto da Tecnologia na área da Saúde

Um estudo da conceituada revista britânica The Economist, patrocinado pela Ricoh, antevê o impacto da Tecnologia na área da Saúde no decorrer da próxima década. Uma das principais

Meta4 é uma das empresas de software mais relevantes do mundo

Pelo segundo ano consecutivo, a Meta4 foi considerada um dos maiores protagonistas no mercado segundo a Gartner Group e integra o ranking das melhores 500 empresas de software

Vodafone adere à rede Pick me! da Chronopost

A Vodafone é um dos mais recentes clientes da rede Pick me!, o serviço implementado pela Chronopost em 2011 para conquistar a liderança do negócio do e-commerce, em

AuditMark é agora JScrambler

A AuditMark foi fundada em 2007 tendo como estratégia criar a primeira barreira de defesa a ataques a aplicações Web no cliente, quando grande parte das soluções de

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *