Manual de sobrevivência para a vida profissional da próxima geração

7568
0
Share:

As tecnologias móveis e digitais estão a expandir-se para cada vez mais áreas da sociedade, dos negócios e da vida pessoal. Estas mudanças também têm impacto na forma como trabalhamos e como o trabalho é organizado. No relatório “Next generation working life – a survival guide”, o Ericsson Networked Society Lab explorou estas mudanças e tentou perceber as tendências mais importantes.

Mikael Eriksson Björling, Expert in Consumer Behavior na Ericsson, diz: “Quisemos ver como se prospera neste novo jogo. Que regras devemos seguir enquanto empregadores e colaboradores? Por isso, reunimo-nos com especialistas em Recursos Humanos e organizações, bem como com os principais arquitectos e pensadores de negócios. Também visitámos algumas pequenas e grandes empresas inovadoras nos EUA, para perceber como estão a organizar o trabalho. Acreditamos que as TIC serão um dos principais motores desta mudança e para nós, enquanto empresa, é importante identificar as oportunidades e fazer parte desta transformação.”

Ericsson_Working life

O relatório descreve o novo cenário empresarial como um ambiente vulcânico: um lugar onde existem poucas posições seguras. Neste novo mundo bastante duro, será fundamental perceber e adaptar-se às mudanças que estão a decorrer, pelo que existem alguns desafios que as organizações têm de enfrentar.

Como ser bem-sucedido enquanto empregador:

Regra nº1 – Uma missão credível e orientada pelos valores – As pessoas têm uma necessidade crescente de um nível mais profundo de significado no seu trabalho. Querem que as empresas lhes deem respostas sobre a razão de existência das organizações. Estas tendências representam uma mudança significativa, em que os valores pessoais, o propósito e os objectivos se tornam mais importantes do que o dinheiro, os cargos e as tarefas.

Regra nº2 – Estabeleça uma cultura de trabalho aberta e democrática – Ênfase crescente na cultura que une os colaboradores das empresas e os faz comprometerem-se uns com os outros marcará a nossa futura vida profissional. Os colaboradores vão cultivar as suas redes e definir métodos de trabalho adequados com base nas suas próprias experiências e preferências.

Regra nº3 – Derrubar as fronteiras organizacionais – Numa era em que o trabalho pode ser feito em qualquer lugar, o significado do escritório tem de ser redefinido. O escritório será um lugar de intercâmbio, criado para optimizar a qualidade da interacção que aí decorre. Os colaboradores esperam que o seu ambiente de trabalho seja ajustado às suas necessidades individuais.

Como ser bem-sucedido enquanto colaborador:

Regra nº1 – Competências e relevância – Os colaboradores terão de desenvolver novas competências para se manterem relevantes e serem suficientemente atractivos no mercado. O trabalho deve ser encarado como um pilar para desenvolvimento pessoal. O mercado laboral está em constante mudança e obter um curso não será suficiente para se ser bem-sucedido.

Regra nº2 – Dominar o marketing pessoal – Trabalhar em redes transitórias acentua a importância de descrever e promover competências pessoais de forma convincente. Os colaboradores do futuro são: competentes a iniciar projectos e criar micro-hubs, vendendo de forma convincente a sua própria contribuição para um processo específico e talentosos gestores de marca pessoal.

Regra nº3 – Sempre à procura de algo melhor – A vida laboral futura não se trata de se acomodar a um trabalho que é seguro ou fácil. Aqueles que são bem-sucedidos no novo ambiente estão sempre à procura de outras opções que possam ser mais gratificantes e/ou desafiantes. Será comum para os colaboradores estarem sempre activos em redes de recrutamento online e constantemente em contacto com a sua própria rede pessoal.


Share:

Deixe o seu comentário