Malware aumentou em todas as plataformas

9064
0
Share:

A McAfee divulgou o McAfee Threats Report: First Quarter 2012, que expõe um aumento do malware em todas as plataformas. O relatório mostra que em Q1, o malware em PCs alcançou os níveis mais elevados dos últimos quatro anos, assim como houve um aumento acentuado no volume de malware nas plataformas Android. O malware nos Mac também está a aumentar, indicando que o malware total pode chegar aos 100 milhões no ano.

“No primeiro trimestre de 2012, já detetamos 8 milhões de novas amostras de malware, o que demonstra que os seus autores continuam com o desenvolvimento incessante de novos malwares”, afirmou Vincent Weafer, vice-presidente sénior do McAfee Labs. “As mesmas capacidades e técnicas que foram aperfeiçoadas na plataforma de PC estão a ser cada vez mais alargadas a outras plataformas, tais como equipamentos móveis e Mac, e como cada mais utilizadores domésticos e empresas utilizam essas plataformas os ataques vão espalhar-se, é por isso que todos os utilizadores, independentemente da sua plataforma, devem ter soluções de segurança e as precauções de segurança online.”

Explosão do Malware nos Equipamentos Móveis

O Malware em equipamentos móveis teve uma tendência significativa durante Q1 de 2012, com um total de 8.000 amostras de malware recolhidas nos equipamentos móveis. Este grande aumento deveu-se em parte aos avanços na deteção e acumulação de amostras de malware nos equipamentos móveis através do McAfee Labs. 

O lucro financeiro é um dos principais motivadores para a propagação de malware nas plataformas Android, como identificado pelo investigador de malware Carlos Castilho do McAfee Labs, num blog recente. Cerca de 7.000 ameaças a Android foram recolhidas e identificadas até ao final do 1 º trimestre, um aumento de mais de 1200 por cento em comparação com as 600 amostras recolhidas em equipamentos Android até o final do 4º trimestre de 2011. A maioria dessas ameaças são oriundas de mercados de app de terceiros, e não são normalmente encontrados no mercado Android oficial.

Aumento do malware em PCs e Macs 

Até ao final de 2011, o McAfee Labs recolheu mais de 75 milhões de amostras de malware. O Q1 de 2012 teve o maior número de malwares detetado em PCs, por trimestre, dos últimos quatro anos. Este aumento fixou o grande total nos 83 milhões de amostras de malware até ao final de Q1, acima de 75 milhões de amostras no final de Q4 de 2011. Os principais contribuintes para este total foram os fortes aumentos de rootkits, uma forma secreta de malware, como os ladrões de passwords, que atingiram aproximadamente 1 milhão de novas amostras em Q1.

Quando o Flashback Trojancomeçou a causar estragos entre os utilizadores Mac da Apple em março, o malware em Mac já estava a crescer a uma taxa consistente. Apesar do crescimento, o malware em Mac ainda é sensivelmente menor do que o malware em PCs, com cerca de 250 novas amostras de malware para Mac, e cerca de 150 novas falsas amostras de antivírus para malware para Mac em Q1.

Spam Baixo, Botnets Alto

Os níveis de spam mundiais caíram para pouco mais de 1 trilião de mensagens de spam mensais até ao final de março. As diminuições mais significativas aconteceram no Brasil, Indonésia e Rússia, enquanto os aumentos de spam foram encontrados na China, Alemanha, Polónia, Espanha e Reino Unido.

O crescimento do Botnet aumentou no 1 º trimestre, alcançando quase 5 milhões de infeções no seu ponto mais alto. A Columbia, Japão, Polônia, Espanha e Estados Unidos foram as áreas com o maior aumento de botnet, enquanto a Indonésia, Portugal e Coreia do Sul foram as regiões que continuaram a diminuir. O botnet mais predominante em Q1 foi o Cutwail, com mais de 2 milhões de novas infeções.

O relatório da McAfee mostra o colapso de preços para um botnet vendido no mercado negro. O Citadel, uma variante Zeus e um botnet financeiro, custa 2.399 dólares aos cibercriminosos, mais 125 dólares pelo “aluguer” de um construtor de botnet e painel de administração, com um extra de US$395 para atualizações automáticas para a evasão de antivírus. Para o Darkness, pela SVAS/Noncenz, um botnet de negação de serviço distribuído, as opções variam de US450 dólares para um pacote mínimo de aproximadamente 1.000 dólares para ofertas mais avançadas.

Estados Unidos, a principal fonte de ciberataques

Uma máquina comprometida é muitas vezes usada como um proxy para spam, botnets, negação de serviço, ou outros tipos de atividades maliciosas. Estas máquinas podem estar localizadas em qualquer parte do mundo, mas em Q1 muitas delas estavam situadas nos Estados Unidos. Com base nos dados recolhidos pela rede do McAfee Global Threat Intelligence™, os Estados Unidos foram a principal fonte de ataques por  injeção de comandos SQL e ataques de tipo cross-site scripting, e também tiveram o maior número de vítimas de ambos os ataques. Os Estados Unidos atualmente abrigam a maioria dos servidores de controlo de botnets, e são o ponto de localização para a grande maioria dos novos sites maliciosos, com uma média de 9.000 novos sites maliciosos registados por dia.


Share:

Deixe o seu comentário