19109 0

Linkedin: 6 milhões de passwords expostas

A informação começou hoje a circular na Internet preocupando, em particular, aqueles que são utilizadores da famosa rede social Linkedin.

De acordo com o que é avançado, foi posto a circular um “lote” de 6,5 milhões de passwords de utilizadores desta rede social. Estas passwords estão disponíveis em diversos fóruns relacionados com o mundo hacker.

Existem já relatos, no Twitter, que alguns utilizadores da rede social viram expostas as suas passwords de acesso, confirmando-se assim a veracidade do ataque.

As empresas de segurança dizem que o hacker que conseguiu invadir o Linkedin poderá ter explorado uma vulnerabilidade presente na interface web da rede social.

Como é habitual nestes casos, aconselha-se aos utilizadores desta rede social, alterarem o quanto antes a sua password de acesso de forma a garantir a segurança do seu perfil.


Bruno Fonseca

Bruno Fonseca

Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Notícias Relacionadas

Universidade de Aberdeen moderniza gestão de dados com Commvault

A Commvault anuncia que a Universidade de Aberdeen implementou uma nova infra-estrutura de gestão de dados baseada nas soluções da Commvault. A Universidade necessitava de assegurar que os

Qlik entre os Líderes do Quadrante Mágico da Gartner pelo quarto ano consecutivo

A Qlik anuncia que ficou posicionada nos Líderes no Quadrante Mágico de 2014 de Plataformas de Business Intelligence e Analítica da Gartner. É o quarto ano consecutivo em que

Ataques avançados e tráfego malicioso sofrem aumento sem precedentes

O Relatório Anual de Segurança da Cisco, publicado hoje, revela que as ameaças desenhadas para tirar partido da confiança dos utilizadores nos sistemas, aplicações e redes pessoais atingiram

42% dos portugueses considera que os filhos podem ter telemóvel a partir dos 11 anos

No inquérito levado a cabo pelo Observador Cetelem existe um número ainda significativo de portugueses (16%) que é de opinião que uma criança a partir dos 7 anos

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *