Information Builders consolida o seu volume de negócios no mercado ibérico

10120
0
Share:

A Information Builders Ibérica consolidou o seu volume de negócios em 2012, com um lucro de 11,5 milhões de euros. No que se refere à venda de novas licenças, sem dúvidas o valor que mede de forma mais exata a saúde de um fabricante de software, o crescimento disparou 27%. Estes dados adquirem ainda maior relevância se se tiver em conta que, em 2011, a empresa também cresceu em relação ao exercício anterior.

“Não nos esqueçamos que a Information Builders está presente na Península Ibérica há 24 anos, o que a converte numa das empresas com maior tradição de toda a indústria de TIC nesta região. Manter este número de negócios na conjuntura atual e depois de tantos anos de atividade, tornam estes resultados ainda mais meritórios”, enfatiza Miguel Reyes, diretor geral da Information Builders para Portugal, Espanha e México. “Com os olhos voltados para 2013, esperamos aumentar o nosso número de negócios em comparação ao ano anterior, graças fundamentalmente à colaboração com os nossos parceiros e à internacionalização da filial”.

Novos projetos e clientes

A Information Builders arrancou em 2012 novos projetos nos clientes que historicamente têm confiado na sua tecnologia, como é o caso do Millennium BCP e a PT Inovação. Além disso, expandiu- se a países da África com projetos em organizações da envergadura da Namibia Telecom, através da PT Inovação.

O segmento financeiro continua a representar a principal fonte de lucros da empresa, à volta dos 60%, seguido pela administração pública, com mais de 20% e os setores dos transporte, serviços, seguros, distribuição e telecomunicações. Do mesmo modo, a Information Builder conseguiu diversificar o seu negócio investindo em novos segmentos e reduzir a sua dependência do mercado financeiro, que há um ano atrás se situava nos 75%.

Estratégia para 2013

A visão da Information Builders em relação à inteligência e analítica de negócios assenta no conceito de `Info Capital ́, que entende o BI como um investimento, não como um centro de custos.

A chave está em maximizar o capital da informação, como sucede com o capital financeiro ou o capital humano, visto que a informação gera mais benefícios à medida que mais for utilizada, partilhada e gerida. A cultura de `Info Capital ́ deve estender-se a todos e a cada um dos indivíduos relacionados com uma organização. No entanto o BI baseado em código aberto só tem em conta os departamentos de TI e os utilizadores com maior capacitação técnica. Os fabricantes de BI tradicionais e os denominados provedores de “data discovery” tendem a estender a sua tecnologia só aos analistas de negócios e à direção da empresa. Apenas a Information Builders atende, através da sua tecnologia, tanto a estes utilizadores, como aos demais funcionários operacionais da organização, aos seus parceiros nos negócios e aos seus clientes. É aquilo que Gartner denomina como `External BI ́.

Sob a égide do `Info Capital ́, a Information Builders centrará a sua estratégia de mercado em três blocos: por um lado, na relação do business intelligence com as grandes tendências de mercado como a mobilidade, a análise das perceções no mundo das redes sociais, o Big Data, o BIaaS (Business Intelligence as a Service) e a análise preditiva; por outro lado, na qualidade dos dados e na gestão dos dados principais e de tudo o que tenha a ver com o `data governance ́; e, por último, na personalização da analítica e inteligência de negócio de acordo com as necessidades de cada cliente, fomentando os conceitos de “self-service” e personalização.

Na parcela tecnológica, a Information Builders continua a sustentar a sua estratégia de produto sobre três eixos, os denominados 3i: inteligência, integridade e integração. A primeira canaliza-se através da plataforma WebFOCUS, o seu porta-estandarte, que torna possível todo tipo de operações de inteligência de negócio, análise avançada e gestão do rendimento. A sua outra grande família de produtos, iWay Software, responde às necessidades do cliente em matéria de integridade e integração da informação. A primeira tem a ver com aspetos fundamentais como a qualidade dos dados, a gestão dos dados principais e o `data governance ́; enquanto a segunda trata da integração de dados e aplicações.

Consolidação da estratégia de canal

A Information Builders anunciou recentemente o seu novo programa de parceiros, que reflete a sua aposta imparável no canal indireto e que a está a ajudar a construir uma rede de parceiros de alto nível, baseada em frutíferas relações a longo prazo.

Entre os objetivos deste novo programa de parcerias, destaca-se o facto de “garantir que qualquer empresa que precise de soluções de business intelligence, com o propósito de conhecer melhor o seu passado e antecipar-se ao futuro, possa aceder às nossas soluções independente da sua dimensão, tipo de negócio ou localização”, sublinha Blanca Revilla, diretora de Alianças da Information Builders para Portugal, Espanha e México. Além disso, “vamos aumentar a capacidade dos nossos parceiros para que possam oferecer aos seus clientes soluções bem-sucedidas e que sejam capazes de distinguir a nossa solução de business intelligence como a mais completa do mercado”.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário