Indra lidera projeto de criação de novos serviços de inteligência geoespacial

9152
0
Share:

A Indra está a liderar o projeto europeu de I+D Decumanus que visa a criação de novos serviços de inteligência geoespacial que apoiem o desenvolvimento urbano e a melhoria da qualidade de vida nas cidades. Estes serviços irão fornecer informação sobre diversas variáveis relacionadas com clima, utilização de solos, eficiência energética e saúde em cada zona da cidade.

11 empresas e organismos de 8 países, coordenados pela Indra, vão trabalhar durante dois anos e meio nesta iniciativa promovida pela Comissão Europeia no âmbito do 7º Programa-Quadro. O objetivo final é disponibilizar, às autoridades e especialistas, ferramentas de planeamento avançadas que os ajudem a definir as suas estratégias de desenvolvimento urbano.

De forma a adaptar os serviços geoespaciais às necessidades específicas das diferentes cidades, que enfrentam problemas e desafios distintos, o consórcio contará com a participação da Antuérpia, Helsínquia, Londres (Kensington e Chelsea), Madrid, e Milão, como utilizadores finais.

Decumanus vai integrar 4 serviços principais. O primeiro vai disponibilizar dados climáticos da cidade que servirão, no futuro, para adaptar o desenvolvimento urbano. O segundo vai permitir um controle mais preciso da utilização dos solos, uma questão que afeta de forma direta a temperatura e o clima em diferentes áreas. Estes dois serviços são complementados com a criação de ferramentas que facilitam o tratamento da informação georreferenciada sobre eficiência energética. Poderão ser detetadas zonas onde se emite maiores quantidades de CO2, zonas em que se perde energia devido a iluminação excessiva ou edifícios que fazem uma utilização desadequada dos sistemas de refrigeração e aquecimento.

Um último grupo de serviços disponibiliza informação relacionada com a saúde e vai permitir conhecer, por exemplo, a influência do crescimento urbano, do clima e da qualidade do ar na qualidade de vida dos cidadãos. Ajudará também a prever o impacto das ondas de calor e de poluição em diferentes grupos etários, pessoas com alergias e com problemas respiratórios e/ou cardiovasculares.

Este projeto dá continuidade a diversas iniciativas europeias de I+D levadas a cabo nos últimos anos e que pretendem potenciar a utilização da informação recolhida atualmente por satélites ou outros sensores terrestres.

Dentro deste tipo de iniciativas, destaca-se o Copernicus, o mais ambicioso programa de observação terrestre promovido pela Comissão Europeia e no qual a Indra participou através da definição de produtos urbanos, de segurança e emergência e de utilização dos solos. Para este mesmo programa, a Indra forneceu modelos digitais terrestres, em camadas de referência, hidrografia e pastagens e foi selecionada para processar e armazenar os dados dos satélites Sentinel 2 (projetos GMES Urban Services, BOSS4GMES, GEOLAND2, SAFER, G-MOSAIC, G-NEXT, Initial GMES Service for Geospatial Reference Data Access, GIO-Land e GIO-Emergency).


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário