Indra inicial em Barcelona implementação do projeto Arrowhead para smart cities

9856
0
Share:

A Indra irá iniciar, durante este ano, em Barcelona, a implementação dos demonstradores que integram o piloto de Smart Energy para o projeto Arrowhead, a maior iniciativa europeia no âmbito de I+D+i orientada para o desenvolvimento de tecnologias para a prestação de serviços avançados em cidades do futuro, Smart Cities. O Centro Cívico da Sagrada Família e os Jardins de Antoni Puigverd foram os locais selecionados em colaboração com a Câmara Municipal para acolher a monitorização e testes in situ das soluções de Smart Building (eficiência energética para edifícios) e Smart Urban Lighting (iluminação pública inteligente), respetivamente.

A multinacional de consultoria e tecnologia acaba de finalizar a primeira fase do projeto, que contemplou o desenho e desenvolvimento em laboratório (protótipo web) dos demonstradores. Adicionalmente, a integração de ambos pilotos foi possível através do framework (arquitetura tecnológica) do Arrowhead. Este framework facilita a comunicação e intercâmbio de informação entre os distintos serviços e está baseado em projetos ARTEMIS anteriores como o SOFIA (Smart Objects For Intelligent Applications), no qual a Indra participou ativamente. Depois da fase de implementação, prevê-se que ambos os pilotos estejam operacionais em setembro de 2015.

Com um investimento de 80 milhões de euros e a participação de 78 entidades de 11 países, o Arrowhead conta com o cofinanciamento da União Europeia e Ministério da Indústria, Energia e Turismo dentro da convocatória Artemis do sétimo Programa-Quadro. Trata-se de um projeto cujo objetivo principal é aumentar a eficiência energética e flexibilizar o uso da energia mediante a automatização cooperativa em edifícios, infraestruturas públicas, processos industriais e setor energético através da utilização de tecnologias embutidas.

O projeto está a ser liderado pela Universidade de Lulea (Suécia) e arrancou em março de 2013 com uma duração prevista de quatro anos. Participam no projeto empresas como a Acciona, Tekniker, Ford, Schneider, Honeywell e diversas universidades e centros de investigação.

Controlo inteligente do consumo

No caso concreto do piloto de Smart Building, pretende-se desenvolver um sistema que facilite o sensoriamento, monitorização e controlo inteligente do consumo energético em tempo real para reduzir de forma significativa a pegada energética e ajudar a criar padrões de poupança a serem implementados em edifícios. O objetivo é a aquisição de dados mediante a implementação de diferentes sensores de registo energético, presencial ou humidade, entre outros, nas diferentes plantas do Centro Cívico da Sagrada Família.

Por outro lado, o piloto de iluminação pública inteligente inclui a instalação nos Jardins Antoni Puigverd de várias lâmpadas com sensores para monitorizar informação ambiental, consumo energético e mobilidade. As lâmpadas incorporarão tecnologia LED para levar a cabo o controlo da intensidade luminosa em função da informação monitorizada.

A informação gerada em ambos demonstradores poderá ser monitorizada e consultada através de um portal web ou de dispositivos móveis. Desta forma, por exemplo, no caso do projeto-piloto de Smart Building, será possível identificar alarmes por excesso de consumo ou desativação de dispositivos, ativar serviços de eficiência energética e estabelecer comparações entre os parâmetros obtidos em espaços distintos. No que concerne ao piloto de Smart Urban Lighting, este contempla a configuração do estado das luzes em função, por exemplo, da presença de pessoas ou grau de iluminação dos edifícios próximos.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário