Indra desenvolve sistema de gestão de recursos naturais

11352
0
Share:

A Indra concluiu recentemente o desenvolvimento de um sistema de gestão de recursos naturais que fornece a respetiva valorização económica. Este sistema tem por objetivo facilitar tanto a instituições como a empresas a tomada de decisões estratégicas oferecendo-lhes uma visão global do impacto das suas decisões e das suas atividades no ecossistema.

Resultado de um ambicioso projeto de R+D + i, o Estrateco foi desenvolvido em cooperação com a Argentina no âmbito do programa Iberoeka (uma iniciativa de cooperação entre empresas tecnológicas inovadoras na Ibero-América, que tem sido apoiada pelo CDTI – Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial – em Espanha). Além da Indra, que coordenou o projeto através da sua rede de Software Labs, participaram também a Argentina Ambiental SRL (consultora especializada em temas ambientais) e a espanhola Sequoia (empresa especializada na criação de espaços interativos multiplataforma e em estratégias globais de Internet).

Permitindo a simulação – através de um interface visual muito simples e de fácil utilização – e a avaliação económica dos impactos das decisões nos recursos naturais, o Estrateco tem como destinatários as autoridades e as empresas que gerem património ambiental ou aquelas cuja atividade tem influência no ecossistema.

Numa primeira fase, o Estrateco faz a identificação dos recursos naturais de uma determinada área, através de ortofotografia ou de outras imagens de satélite, dados que incluem, entre outros, resultados de extração florestal, censos de fauna, estudos e análises feitas anteriormente na mesma área. Depois, procede à avaliação económica dos recursos e, através da aplicação de um modelo causal baseado em inteligência artificial, identifica as regras de equivalência e as relações entre os diferentes recursos naturais e o seu impacto económico.

Através de um painel de controlo, alimentado com dados reais e com indicadores de gestão, o Estrateco apresenta o status de uma determinada região no que se refere às questões ambientais (por exemplo poluição, emissões de CO2, ruído, nível da água, erosão, microclima, biodiversidade) bem como os indicadores urbanos, associados à industrialização (parques ou áreas de lazer, áreas residenciais, projetos de infra-estruturas, entre outros). Os recursos também podem ser analisados em diferentes dimensões, que incluem desde os dados físicos descritivos do recurso às oportunidades sociais e culturais que a sua avaliação económica ou ambiental permitem identificar.

O Estrateco já foi testado em dois ecossistemas argentinos, na província de Tucumán, zonas com os níveis mais elevados de biodiversidade da Argentina. Depois de identificar os recursos naturais de ambas as áreas protegidas e após quantificação do seu valor económico, a ferramenta permite medir os potenciais benefícios e custos envolvidos em várias ações, tais como as diferentes utilizações da área, a realização de melhorias ambientais, impactos negativos em determinadas áreas ou recursos, etc. Com estas simulações, o Estrateco irá permitir gerir as duas regiões em análise (Valles Calchaquies e Las Yungas) tornando possível planear e melhorar o seu progresso.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário