Indra com lucros de 67 milhões de Euros no final do 3ºTrimestre do Ano

8272
0
Share:

A evolução do negócio da Indra foi positiva e de acordo com o previsto para este exercício, o que permite manter os objectivos delineados para o ano de 2013. No final dos primeiros nove meses do ano registou-se um resultado líquido de 66,6 milhões de euros e as vendas alcançaram os 2.123 milhões de euros, um nível similar ao do período homólogo do ano passado. As vendas internacionais já representam 60% das vendas totais e continuam a sua evolução ascendente, tendo registado um aumento de 15% na América Latina e 13% na Europa e América do Norte. Segurança e Defesa foi o segmento de mercado que registou um crescimento mais elevado (9%).

Os contratos celebrados atingiram os 2.177 milhões de euros e continuam a ser superiores às vendas. A carteira de pedidos regista um total de 3.448 milhões de euros, 3% abaixo do valor obtido no mesmo período do ano passado e equivalente a 1,17 vezes as vendas dos últimos 12 meses.

O EBIT recorrente atingiu os 167 milhões de euros mantendo-se nos 7.9%, em linha com o objectivo traçado para 2013. Durante este período completou-se a execução do plano de adequação e melhoria da eficiência dos recursos para 2013, o que representou um custo extraordinário de 27 milhões de euros.

No final do terceiro trimestre, o resultado líquido da Indra ascendeu a 66,6 milhões de euros, o que representa uma diminuição de 29% em relação ao mesmo período de 2012. O resultado líquido recorrente (antes de custos extraordinários) atingiu os 87,4 milhões de euros. A dívida líquida situou-se nos 707 milhões de euros.

No passado dia 9 de Julho realizou-se o pagamento ordinário de 0,34€ por acção, respeitante aos resultados do exercício de 2012 – o que representa um total de 56 milhões de euros e uma rentabilidade por dividendo de 3,5% sobre o preço da acção aquando do encerramento da sessão do anúncio (21 de março de 2013). O pay out implícito sobre o valor das acções no fecho do exercício de 2012 é de 42%.

Emissão de obrigações de 250 milhões de Euros

Em Outubro, a empresa emitiu com sucesso 250 milhões de euros de obrigações convertíveis a cinco anos, com um cupão de 1,75% e um prémio de conversão de 30% (preço de conversão de 14,29 euros). A emissão das referidas obrigações convertíveis diversifica a estrutura financeira da empresa, aumenta a vida média da dívida (que se situa nos 3,5 anos) e implica que, a médio e longo prazo, esta represente 75% da dívida imediata.

Por outro lado, no terceiro trimestre realizou-se também a venda do ramo de atividade (ativo e passivo) do negócio de gestão avançada de documentação digital do México, na sequência do desinvestimento realizado já em Espanha no segundo trimestre. Estas operações fazem parte da estratégia de desinvestimento seletivo anunciado pela empresa no início do ano.

Ratificação dos objetivos para 2013

Tendo em consideração o comportamento verificado durante os primeiros nove meses do ano, a atual carteira de pedidos – que resulta de uma cobertura de 97% do objectivo de vendas – e as perspectivas para o quarto trimestre, a empresa reitera todos os objectivos anunciados para o ano de 2013:

  • Crescimento das vendas ligeiramente positivo (considerando-se os efeitos dos desinvestimentos previstos e acima mencionados, que representam 49 milhões de euros de vendas em 2012 e 19 milhões em 2013)
  • Contratação semelhante ou superior às vendas
  • Margem EBIT recorrente (antes de custos extraordinários) de cerca de 8%
  • Capital Circulante Líquido equivalente a entre 100-110 dias de vendas

Investimentos corpóreos e incorpóreos líquidos de cerca de 70 milhões de euros


Share:

Deixe o seu comentário