18624 0

Indra amplia o segmento terreno do Galileo com uma nova estação na Polinésia Francesa por 7,3M€

A Indra acaba de ganhar um contrato para implementar uma nova estação de Telecomando e Telecontrolo (TT&C) em Papeete (Polinésia Francesa), através da qual se ampliará o segmento terreno do sistema europeu de posicionamento global Galileo. O contrato foi adjudicado pela empresa Airbus Defense and Space no Reino Unido, no âmbito do programa financiado pela União Europeia. O projeto contempla também a manutenção e evolução até 2016 de todas as estações TT&C por montante global de 7,3M€.

A nova estação de Papeete reforçará o segmento terreno do Galileo para que possa assumir o controlo de uma constelação de satélite que passará dos 8 que estão atualmente em órbita, para 30 satélites em 2020, quando se completar o sistema.

A multinacional tecnológica Indra ganhou este contrato depois de ter implementado toda a rede de TT&C e estações Uplink que gerem atualmente os satélites do sistema Galileo. As estações terrenas são, juntamente com os centros de controlo da Alemanha e Itália, os elementos chave do segmento terreno.

Em concreto, a Indra colocou em marcha as quatro estações de Telecomando e Telecontrolo (TTC) que atualmente se encontram operativas. Estas estações monitorizam a posição dos satélites em órbita e enviam as ordens para o seu controlo. Adicionalmente, também implementou as 10 estações Uplink (ULS) que enviam dados de navegação e integridade.

Estas estações encontram-se distribuídas por todo o planeta para assegurar que possam enviar e receber dados de qualquer um dos satélites em qualquer momento, independentemente da sua posição. Entre outros locais, as estações encontram-se distribuídas em pontos como Kourou (Guiana Francesa), Kiruna (Suécia), Noumea (Nova Caledónia), Isla Reunión (departamento francês) ou Svalbard (Noruega).

Assim, a Indra é responsável pelos computadores centrais e software de controlo e processamento da rede de estações (GSS), que monitorizam os sinais enviados pelos satélites Galileo. Estas estações estão distribuídas por mais de 15 localizações em torno de todo o planeta.

O seu perfeito funcionamento depende que serviços críticos como busca e salvamento – um dos primeiros serviços realizados – estejam disponíveis em todo o momento e sejam fiáveis. A esta primeira capacidade serão adicionadas no futuro muitas outras, relacionadas com setores tão distintos como transporte, navegação, segurança de infraestruturas críticas ou a construção, para mencionar algumas.

Galileo é, até ao momento, a mais ambiciosa iniciativa impulsionada pela Comissão Europeia e a Agência Espacial Europeia. A Indra participou no desenvolvimento de toda a infraestrutura de terra desde as primeiras fases do projeto. A qualidade dos desenvolvimentos realizados converteu a Indra num importante parceiro dentro deste complexo programa multinacional.

O conhecimento adquirido pela empresa desde que começou a trabalhar no programa, há mais de uma década, coloca a Indra numa posição invejável para aproveitar as oportunidades de negócio que surgirão quando o sistema for colocado em marcha e os clientes finais procurem serviços relacionados.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

OLX em roadshow universitário para recrutamento de 40 talentos

O OLX vai estar presente nas universidades Católica (14 fevereiro), Nova SBE (22 fevereiro) e ISCTE (22 e 23 de fevereiro), em Lisboa, para dar a conhecer a

Unit4 Health 2015: novo software de gestão para organizações no setor da saúde potencia vantagens competitivas

A Unit4 criou o Unit4 Health 2015, uma nova versão do software de gestão para organizações do setor da saúde, que beneficia das alterações oferecidas pela sua nova

Estudo revela que os Líderes empresariais mundiais consideram crítico o apoio institucional ao investimento privado na transição para uma economia de baixo carbono

A maioria dos líderes empresariais mundiais encara as iniciativas com vista a uma economia de baixo carbono como uma oportunidade de crescimento e de inovação, que será essencial

Zarph fecha negócio com Banco alemão no valor de 250 mil euros

A Zarph anuncia a venda de 30 equipamentos de depósito de notas – Modelo TD 412 – ao Banco alemão ProCredit, num negócio para o mercado búlgaro e

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *