Indra amplia o segmento terreno do Galileo com uma nova estação na Polinésia Francesa por 7,3M€

8448
0
Share:

A Indra acaba de ganhar um contrato para implementar uma nova estação de Telecomando e Telecontrolo (TT&C) em Papeete (Polinésia Francesa), através da qual se ampliará o segmento terreno do sistema europeu de posicionamento global Galileo. O contrato foi adjudicado pela empresa Airbus Defense and Space no Reino Unido, no âmbito do programa financiado pela União Europeia. O projeto contempla também a manutenção e evolução até 2016 de todas as estações TT&C por montante global de 7,3M€.

A nova estação de Papeete reforçará o segmento terreno do Galileo para que possa assumir o controlo de uma constelação de satélite que passará dos 8 que estão atualmente em órbita, para 30 satélites em 2020, quando se completar o sistema.

A multinacional tecnológica Indra ganhou este contrato depois de ter implementado toda a rede de TT&C e estações Uplink que gerem atualmente os satélites do sistema Galileo. As estações terrenas são, juntamente com os centros de controlo da Alemanha e Itália, os elementos chave do segmento terreno.

Em concreto, a Indra colocou em marcha as quatro estações de Telecomando e Telecontrolo (TTC) que atualmente se encontram operativas. Estas estações monitorizam a posição dos satélites em órbita e enviam as ordens para o seu controlo. Adicionalmente, também implementou as 10 estações Uplink (ULS) que enviam dados de navegação e integridade.

Estas estações encontram-se distribuídas por todo o planeta para assegurar que possam enviar e receber dados de qualquer um dos satélites em qualquer momento, independentemente da sua posição. Entre outros locais, as estações encontram-se distribuídas em pontos como Kourou (Guiana Francesa), Kiruna (Suécia), Noumea (Nova Caledónia), Isla Reunión (departamento francês) ou Svalbard (Noruega).

Assim, a Indra é responsável pelos computadores centrais e software de controlo e processamento da rede de estações (GSS), que monitorizam os sinais enviados pelos satélites Galileo. Estas estações estão distribuídas por mais de 15 localizações em torno de todo o planeta.

O seu perfeito funcionamento depende que serviços críticos como busca e salvamento – um dos primeiros serviços realizados – estejam disponíveis em todo o momento e sejam fiáveis. A esta primeira capacidade serão adicionadas no futuro muitas outras, relacionadas com setores tão distintos como transporte, navegação, segurança de infraestruturas críticas ou a construção, para mencionar algumas.

Galileo é, até ao momento, a mais ambiciosa iniciativa impulsionada pela Comissão Europeia e a Agência Espacial Europeia. A Indra participou no desenvolvimento de toda a infraestrutura de terra desde as primeiras fases do projeto. A qualidade dos desenvolvimentos realizados converteu a Indra num importante parceiro dentro deste complexo programa multinacional.

O conhecimento adquirido pela empresa desde que começou a trabalhar no programa, há mais de uma década, coloca a Indra numa posição invejável para aproveitar as oportunidades de negócio que surgirão quando o sistema for colocado em marcha e os clientes finais procurem serviços relacionados.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário