IDC destaca Indra como fornecedor de serviços end-to-end de estratégias na cloud

8536
0
Share:

As conclusões extraídas de um estudo realizado pela IDC sobre a evolução e novas exigências do mercado de cloud computing indicam que a Indra está muito bem posicionada como fornecedor de serviços end-to-end para implementar uma estratégia cloud nas organizações com activos tecnológicos próprios. “Partindo da definição do roadmap mais adequado à empresa e de uma arquitectura de referência que maximize o rendimento e o TCO (Total Cost Ownership), a Indra cobre todo o percurso para chegar à cloud, desde a gestão à optimização dos serviços para uma melhoria contínua e criação de novos serviços”, afirma o IDC.

A IDC estima que, durante o ano de 2014, os serviços cloud vão atingir um volume de mercado global de 1.000 milhões de dólares, com uma estimativa de crescimento de 25% comparado com 2013. De acordo com a empresa “A cloud já é uma realidade, não só porque as novas empresas estão a investir no modelo, mas porque aumentou consideravelmente a utilização por parte das empresas que já investem há mais tempo”

De acordo com a empresa de marketing intelligence, os CIO’s deixaram de considerar a cloud como um mero meio de reduzir custos, passando a identificá-la como uma fonte de vantagens competitivas que torna o negócio mais ágil e permite uma maior flexibilidade de adaptação dos serviços de acordo com as necessidades da empresa no momento. Neste âmbito foi reconhecido que a Indra possui uma infra-estrutura patenteada (Indra Flex IT – a cloud hibrida da Indra) e activos tecnológicos (plataforma GPaaS para o desenvolvimento de novas aplicações SaaS, o conceito Internet of Things (SOFIA) e o catalogo de soluções próprias SaaS) que “permitem o máximo controlo do serviço e a capacidade de integração de infra-estruturas de terceiros, alcançando assim um ecossistema tecnológico homogéneo e simplificado que favorece a agilidade e a flexibilidade que as empresas necessitam” destaca a IDC.

Em direcção à terceira plataforma

Para além de redução de custos e da maior agilidade, o estudo destaca ainda o crescente interesse das empresas nos serviços cloud como fonte de inovação para o desenvolvimento de soluções diferenciadas. “Os serviços cloud são potenciadores de transformação dentro das empresas, resultando do aparecimento de um conjunto de soluções inteligentes, que fazem parte do que a IDC denomina como terceira plataforma e que combina estes serviços com big data, dados analíticos, mobilidade e social business”.

Neste contexto, a IDC considera que a Indra está bem posicionada para dar resposta às necessidades das empresas no momento de agilizar a construção de aplicações e serviços baseados na terceira plataforma, graças à sua plataforma abrangente (Indra Smart Platform), que é composta por ativos tecnológicos próprios que incluem componentes para o desenvolvimento (iDynamics Cloud), execução multi-tenant (GPass), a integração do conceito IoT (SOFIA), repositórios tradicionais e big data, bem como outros open source e de integração de terceiros. Na opinião da IDC, “a plataforma da Indra providencia autonomia para a execução de um projecto completo, incluindo consultadoria, migração, apoio e a construção de soluções patenteadas, aumento o time-to-market de uma cloud híbrida, privada ou pública”.

In Cloud: serviços end-to-end “A la carte”

O estudo revela ainda que a nova cultura tecnológica exige departamentos de TI que incluam um broker de serviços que seja capaz de responder com a solução tecnológica mais apropriada para as necessidades de cada empresa, o que implica uma correcta selecção de fornecedores de tecnologia. Acrescenta ainda que a utilização de serviços de consultoria e integração para selecção e implementação das soluções mais apropriadas para os modelos de carga (clouds publicas e/ou privadas em ambientes híbridos) são uma grande ajuda para organizações que estão em processo de transição para a cloud.

Neste sentido, a IDC destaca a proposta In Cloud da Indra, que cobre todo o processo de transição para a cloud, desde a produção ao consumo de tecnologia, e que já é utilizada por cerca de 2.500 empresas de vários sectores de actividade para realizarem mais de 25 milhões de transacções por ano. Por outro lado, esta oferta inclui uma plataforma PaaS (Indra Smart Platform), uma infra-estrutura de cloud com gestão híbrida (Indra Flex IT) e um extenso catálogo de mais de 40 aplicações SaaS (Software como um serviço) que podem ser acedidas via um market place próprio (iCloud Broker) e que se integra com terceiros (Azure, Force.com ou o Google Engine).

Do portfolio SaaS, destacam-se soluções como a Isocloud, uma aplicação cloud para gestão dos sistemas de qualidade e ambiental; Direct Digital Sales, uma solução que apoia o processo de contratação através da recolha de dados via dispositivos móveis equipados com camaras; Toyra, que fornece serviços de reabilitação motora para os membros superiores; e Netplus, uma gateway de pagamento com cartão de crédito para a cloud certificada pela PCIDSS.

Por outro lado, a In Cloud inclui uma cloud híbrida de serviços e infra-estruturas (Indra Flex IT) que representa uma mudança importante, já que disponibiliza o acesso em tempo recorde a partir de qualquer local, e pagando apenas o serviço utilizado. A Indra também oferece um serviço global de gestão tecnológica – Gestão de Infraestrutura como Serviço (IMaaS) – que se baseia na Indra Flex TI, bem como soluções de Desktop as a Service (DaaS) e Application Management as a Service (AmaaS). As contribuições finais da oferta da In Cloud são os seus serviços de consultadoria tecnológica para a concepção e execução de infra-estrutura e planos de migração de aplicações para a cloud (Op Timiza) e modelos de negócios.

A capacidade de responder aos principais inibidores de mercado na adopção de modelos de cloud – especialmente segurança – é outro dos requisitos que deve ser cumprido pelos fornecedores de serviços. A IDC acredita que “o modelo Indra Flex IT fornece segurança através de certificados que garantem a segurança da informação em todos os seus centros bem como o acesso seguro via redes privadas e uma firewall dupla na sua cloud privada. Todos os níveis de segurança da infraestrutura associados ao Indra Flex IT são auditados por uma equipa especializada em segurança cibernética”. Por fim, também se destaca a negociação flexível e personalizável de SLAs (Service Level Agreements), os testes de conceito iniciais oferecidos pela empresa, a sua monitorização e ferramentas de controlo que garantem o cumprimento dos acordos, e o fato se exigirem compromissos contratuais mínimos.

Previsões IDC para a evolução das TIC em Portugal

A IDC prevê que a despesa com TI em Portugal, em 2014, ultrapasse os 3,25 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de 0,9% relativamente a 2013. Nos mercados associados à 3ª plataforma, ou seja, ligados à mobilidade, aos serviços cloud, às tecnologias sociais e de Big Data, prevê-se um crescimento de cerca de 15%.

A IDC prevê ainda que mais de 50% das médias e grandes empresas nacionais vão utilizar serviços cloud em 2014. O valor do mercado deverá crescer mais de 20% em todo o mundo e quase 30% em Portugal, o que significa que, apesar de ainda ser pequeno, o mercado de Cloud Pública e Privada em Portugal atingirá os 90 milhões de Euros em 2014.


Share:

Deixe o seu comentário