47433 0

IBM revela as cinco inovações que irão mudar as nossas vidas nos próximos cinco anos

A IBM acaba de anunciar a iniciativa anual “IBM 5 in 5” (#ibm5in5), cinco inovações científicas e tecnológicas que se prevê que venham a mudar a forma como as pessoas irão trabalhar, viver e interagir nos próximos cinco anos. As previsões deste ano revelam novidades nas áreas de Inteligência Artificial (IA), computação quântica, blockchain e cibersegurança.

Passará a ser possível garantir a autenticidade e qualidade dos produtos desde a origem até ao consumidor. A fraude custa à economia global cerca de 600 mil milhões de dólares por ano.

Infraestrutura de “crypto-anchors” (modelos de impressão digital cifrada que se torna parte integrante de um produto) e tecnologia blockchain vão unir-se contra a falsificação e contrafação. Dentro de cinco anos, serão incorporados “crypto-anchors” do tamanho de pequenos pontos e computadores mais pequenos do que um grão de sal, nos produtos do nosso dia a dia – tudo, desde equipamentos médicos, até roupas, peças de automóvel a alimentos. As informações em tempo real que estas pequenas infraestruturas contêm, ao entrarem no sistema de blockchain, garantindo a autenticidade dos produtos ao longo de todo o ciclo, vão revelar-se um método infalível de saber se um determinado bem é autêntico ou se é seguro para ser consumido. De facto, esta tecnologia abrirá caminho a novas soluções que abordem a segurança alimentar, a autenticidade de componentes fabricados, a identificação de objetos falsificados e a proveniência de produtos de luxo – garantindo que se possa não só acompanhar o trajeto das compras, mas também saber se os produtos são realmente autênticos.

Os ataques cibernéticos vão massificar-se até enfrentarem “lattice cryptography”, baseada em modelos matemáticos altamente sofisticados. A IBM Research está já a preparar-se para o dia em que os hackers vão conseguir infringir a maioria dos métodos de cibersegurança que conhecemos e em que os computadores quânticos vão quebrar todos os protocolos atuais de criptografia. Os cientistas e investigadores da IBM já apresentaram um método de criptografia pós-quântico ao governo dos EUA para que possa ser considerado como um potencial padrão. E desenvolveram ainda novos métodos de cibersegurança baseados em lattice cryptography, (protocolos de encriptação com modelos matemáticos extremamente difíceis, com uma arquitetura que esconde dados sensíveis dentro de complexas estruturas de álgebra). Esta técnica possibilita a realização de cálculos num determinado ficheiro ou arquivo sem que dados sensíveis se tornem visíveis ou sejam expostos a hackers.

Vamos conseguir limpar os nossos oceanos graças à tecnologia. Dentro de cinco anos, pequenos microscópios 3D, autónomos e com capacidades de IA incorporadas, ligados em rede cloud e distribuídos por todos os mares e oceanos, monitorizarão continuamente as atividades do plancton, que funciona como sensor biológico e natural da saúde aquática. Ao observar certos indicadores, podemos antecipar formas de proteger o recurso natural mais valioso do mundo e o abastecimento global de água.

A Inteligência Artificial irá explodir mas apenas a que trará benefícios comuns e imparciais irá perdurar. Dentro de cinco anos, teremos novas soluções para combater o aumento substancial do número de sistemas e algoritmos de IA tendenciosos e preconceituosos. As plataformas de IA são tão boas quanto os dados que as alimentam. Dados incorretos e pouco fidedignos podem conter vícios implícitos sobre raça, género ou ideologia. Muitos sistemas de IA continuarão a ter como fim a segregação, mas acreditamos que será possível incorporar algoritmos que, ao aprenderem sozinhos, conseguirão identificar e mitigar objetivos tendenciosos, o que se revelará essencial para gerar maior confiança entre Homem e Máquina.

Hoje, a computação quântica ainda é comparada a um parque de diversões para os investigadores. Em cinco anos, sairá dos laboratórios e será considerada convencional. Prevê-se que a computação quântica deixe de ser exclusiva da comunidade científica e passe a ser amplamente utilizada por novas categorias de profissionais, programadores e estudantes para resolver problemas para os quais hoje não temos resposta. A IBM prevê que uma nova comunidade de programadores surgirá neste contexto e que todos os currículos académicos na área das ciências da computação, e depois na engenharia e outras, como na gestão, terão também uma componente quântica de ensino.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

NEC apresenta as soluções para Cidades Inteligentes

A NEC vai marcar presença na conferência Connected Europe 2017 que começa já amanhã, 11 de Outubro em Lisboa e termina na quinta-feira. No evento que decorre no

NEC recebe prémio da ITU-AJ pelas suas realizações na construção de cabos submarinos de telecomunicações

A NEC anunciou que a sua equipa internacional de Cabos Submarinos foi distinguida com um Prémio de Desempenho por parte da União Internacional de Telecomunicações – Associação do

Portugueses são os mais otimistas com o futuro do país nos próximos anos

Neste período de pós-crise, os portugueses estão mais otimistas. Cerca de 32% dos inquiridos consideram que a situação do país vai melhorar nos próximos dois anos. Só os

Check Point reúne mais de 200 pessoas no seu evento Summer Summit 2016 Portugal

A Check Point celebrou nos dias 1 e 2 de Junho em Tróia o seu evento Summer Summit 2016 Portugal. O encontro reuniu clientes e parceiros da Check

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *