IBM lança unidade de consultoria dedicada ao Cognitive Business

12056
0
Share:

A IBM anunciou a criação da primeira unidade de consultoria do mercado dedicada a ajudar as empresas a transformar o seu negócio tendo por base um modelo ‘cognitivo‘. Esta nova unidade, designada IBM Cognitive Business Solution, utiliza tecnologia exclusiva da IBM, incluindo o IBM Watson, e tira partido da experiência e liderança da Companhia em analítica de negócio.

Mais de 2.000 profissionais de consultoria especializados em áreas como analítica avançada, ciência dos dados e machine learning irão colaborar com especialistas de cada indústria por forma a levar as melhores práticas aos clientes.

A computação cognitiva representa um novo modelo de computação que inclui uma série de inovações em analítica, processamento de linguagem natural e machine learning. A IDC prevê que, até 2018, mais de metade dos consumidores irão interagir regularmente com serviços baseados em tecnologia cognitiva.

“A nossa experiência com clientes de vários setores indica que a computação cognitiva é o caminho para as próximas grandes oportunidades de negócio”, sustenta Bridget van Kralingen, vice-presidente sénior IBM Global Business Services. “Os clientes recolhem e analisam mais dados hoje do que nunca, mas 80% de todos os dados disponíveis – imagens, voz, literatura, fórmulas químicas, interações sociais – continuam fora do alcance dos sistemas de computação tradicionais. Estamos a elevar-nos a um nível de especialização sem precedentes por forma a ultrapassar essa barreira e ajudar os nossos clientes, sejam bancos, retalhistas, fabricantes de automóveis, seguradoras ou prestadores de cuidados de saúde, a tornarem-se empresas cognitivas.”

Um estudo com mais de 5.000 executivos de todo o mundo, que será lançado em breve pelo Instituto for Business Value (IBV) da IBM, reforça que as empresas com melhor desempenho estão a olhar para as capacidades cognitivas como uma prioridade:

– No setor dos seguros, 65% dos CXOs procuram implementar um modelo empresarial mais inovador, mas quase 30% sentem que a qualidade, a exatidão e a integridade dos dados corporativos ainda são insuficientes. Quase todos dizem que pretendem investir em soluções cognitivas.
– No Retalho, 60% dos executivos não acreditam que a sua empresa esteja suficientemente capacitada para oferecer o nível de experiência que o cliente está à procura, e 95% dizem que vão investir em soluções cognitivas nos próximos cinco anos.
– Na Saúde, mais de metade dos CXOs confessam sentir restrições na utilização de todas as informações disponíveis, o que lhes limita a confiança na tomada de decisões de negócio estratégicas. 84% desses líderes acreditam que as capacidades cognitivas serão uma força disruptiva na área da saúde e 95% pretendem investir nestas soluções ao longo dos próximos cinco anos.

Além disso, em todos os setores os executivos entrevistados ​​pelo IBV referem a escassez de capacidades e de conhecimentos técnicos como as principais barreiras para a adoção de soluções cognitivas – superando as preocupações com a segurança, a privacidade ou a maturidade da tecnologia.

Alguns exemplos de setores em que já se está a trabalhar para avançar nesta nova era cognitiva:

– A IBM está a colaborar com organizações de saúde em todo o mundo por forma a aplicar a tecnologia à área da genómica na luta contra o cancro, acelerando a análise de ADN para opções de tratamento personalizado.
– Nos serviços financeiros, a IBM está já a trabalhar com alguns clientes onde estão a ser implementadas soluções cognitivas para gerir o risco financeiro de forma mais eficiente e eficaz e oferecer opções de orientação e de investimento personalizadas.
– Na educação, a tecnologia cognitiva está já a ser usada para personalizar a formação académica e melhorar os currículos escolares para alunos e professores.

Com a criação desta nova unidade, a IBM está a disponibilizar às empresas a experiência de mais de 50.000 projetos de analítica e o conhecimento de milhares de especialistas do IBM Research e das unidades de analítica e do Watson da IBM. Além disso, os clientes poderão utilizar as capacidades computacionais de raciocínio e de aprendizagem exclusivas do IBM Watson, o sistema cognitivo em que a IBM investiu 1.000 milhões de dólares para desenvolver inovações cognitivas em várias indústrias. A IBM vai ainda formar mais 25.000 consultores e profissionais da IBM em computação cognitiva ainda este ano.

Desde o ano passado que a IBM tem vindo a estabelecer parcerias estratégicas com a Apple, Twitter, The Weather Channel e Facebook, todas elas destinadas a extrair mais conhecimento e novas fontes de dados para ajudar os nossos clientes em todo o mundo a conseguirem vantagens competitivas.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário