IBM apresenta novas soluções de Big Data em Lisboa

10736
0
Share:

Novas soluções IBM na área de Smart Analytics/Big Data foram ontem apresentadas no IBM Big Data Forum, que decorreu no Estádio da Luz, em Lisboa. O Big Data está a dar origem a uma nova era, em que as vantagens competitivas das empresas passam a assentar na hiperconetividade e na gestão de todo o ciclo da informação para tomar decisões mais eficazes e com maior retorno.

“A multiplicidade de dispositivos móveis e de sensores, as redes globais de informação e comunicação e as plataformas sociais geram hoje um volume de dados sem precedentes. Sabe-se que toda a informação produzida até 2003, era, em 2012, gerada a cada dois dias. Hoje essa quantidade de dados é gerada a cada dez minutos”, sublinhou Ricardo Martinho, Diretor da Divisão de Software da IBM Portugal.

Mas o Big Data é mais do que uma questão de quantidade. É uma oportunidade de criar conhecimento a partir de novos e emergentes tipos de informação e conteúdos, tornando as organizações mais ágeis e dando respostas a perguntas que anteriormente estavam fora do seu alcance.

“Podemos exemplificar este fenómeno ao identificar o Big Data como o novo recurso natural, o novo ativo económico da atualidade. Tal como o vapor, a eletricidade e o petróleo o foram para a era industrial”, comparou ainda Ricardo Martinho.

Para melhor tirar partido do Big Data, a IBM tem soluções completas de gestão de dados e conteúdos, de infraestrutura, de segurança e de analítica que permitem às organizações extrair conhecimento para melhorar a relação com os clientes, simplificar e otimizar as operações de negócio, assegurando sempre a tomada de decisão mais acertada.

A plataforma IBM para Big Data, com produtos como o InfoSphere BigInsights, o InfoSphere Streams ou o InfoSphere Warehouse, combinada com a família de sistemas Pure, utiliza a tecnologia líder de mercado para dar resposta aos três ‘Vs’ do Big Data: volume, pelo crescimento acelerado de informação; velocidade, pela rapidez com que a informação é gerada; variedade, pelo tipo de dados estruturados e não estruturados, como sensores, áudio ou video.

“Mas a IBM adiciona ainda um quarto ‘V’, o da veracidade, pela importância que a credibilidade da informação assume nos dias de hoje. Um em cada três líderes de negócio não confia ainda na informação que usa para tomar decisões”, concluiu Ricardo Martinho.

Marc Teerlink, Global Strategist & Data Scientist da IBM, referiu, neste sentido, que “os factos são, sem dúvida, mais importantes do que a intuição. Só tirando partido do Big Data conseguimos acelerar e agregar valor ao negócio, chegando mais longe e indo mais fundo no conhecimento dos nossos clientes. É preciso melhorar a visão a 360°, porque o valor gerado deve ter em consideração o indivíduo, e não os segmentos de mercado ou as demografias”.


Share:

Deixe o seu comentário