IBM anuncia parceria com rede VISA durante a inauguração oficial do Centro Watson IoT em Munique

70312
0
Share:

A IBM e a rede VISA estão a colaborar num projeto completamente inovador que vai permitir introduzir experiências de pagamento seguras em toda a rede e a partir de qualquer dispositivo conectado à Internet of Things (IoT). O anúncio aconteceu ontem, no dia em que a Companhia inaugurou oficialmente o Centro IBM Watson IOT em Munique, na Alemanha, no coração da Indústria 4.0 na Europa – num evento que contou com mais de 600 clientes, 400 empresas e analistas. Trata-se de um investimento de mais de 200 milhões de dólares, o maior da IBM nas últimas duas décadas na Europa, e onde já se encontram a trabalhar mais de 1000 especialistas provenientes de todo o mundo.

A parceria entre a IBM e a VISA junta as capacidades cognitivas únicas da plataforma Watson IoT –  que permite às empresas (são já hoje mais de 6.000) conectarem-se a mil milhões de dispositivos, sensores e sistemas para extrair informações válidas -, com os serviços de pagamento globais da rede VISA, que processa mais de 60% dos pagamentos de todo o mundo.

As duas multinacionais partilham a visão e o compromisso de transformar qualquer dispositivo conectado num potencial ponto de venda. Ou seja, que se possa proceder a transações e pagamentos autorizados e seguros a partir de um qualquer dispositivo, seja um relógio, um eletrodoméstico ou um automóvel.

Para tal, as empresas podem usar o Visa Token Service (VTS), uma nova tecnologia de segurança incorporada na plataforma Watson IoT da IBM, que substitui as informações confidenciais encontradas em cartões de pagamento, como o número de conta de 16 dígitos, a data de validade e o código de segurança.

Como resultado, a IBM e a VISA poderiam suportar transações comerciais e pagamentos em grande parte dos 20 mil milhões de dispositivos conectados que se estima virem a existir na economia global até 2020 (Gartner, IoT report, November 2015, http://www.gartner.com/newsroom/id/3165317). O principal foco passaria por criar experiências de consumo personalizadas e fazer recomendações proativamente com base nas necessidades exclusivas dos clientes.

Por exemplo, permitir que os condutores paguem o combustível através de uma interação direta entre o carro e a bomba de gasolina. De facto, os especialistas estimam que haverá 380 milhões de carros conectados até 2021. À medida que o ecossistema de automóveis se conecta à plataforma Watson IoT, o condutor poderá também, por outro lado, ser alertado quando a garantia ou a certificação do automóvel estiver prestes a expirar ou até se está a precisar de substituir peças. Com essas informações, o consumidor poderá encomendá-las com um simples toque de botão e agendar de seguida uma visita à sua oficina de referência.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário