GMV Portugal contribui para a segurança de empresas e organizações públicas

11264
0
Share:

GMV acaba de anunciar a sua participação, durante quatro anos, no projeto TREsPASS (Technology-supported Risk Estimation by Predictive Assessment of Socio-technical Security) como parte do FP7 Framework Programme da União Europeia.

Orçamentado em 13,5 M€ e liderado pela universidade de Twente na Holanda, o projeto tem como objetivo desenvolver um “Attack navigator” inteligente que rastreie pontos potencialmente fracos dentro de uma organização ou numa infraestrutura.

O “Attack navigator” do projeto TREsPASS combina os aspetos técnicos e humanos da segurança para identificar pontos fracos nas organizações e nas suas infraestruturas. Deste modo, a ferramenta pode ajudar os utilizadores a selecionar as contramedidas mais efetivas, combinando o conhecimento das ciências técnicas (quão vulneráveis são os protocolos e o software?) e das ciências sociais (quão vulneráveis são os padrões do comportamento humano e porquê?), assim como os processos e ferramentas do estado da arte da indústria. Visualizar esta informação de forma suficientemente expressiva é um dos desafios deste projeto.

O projeto parte da premissa que as infraestruturas de informação podem ser protegidas o melhor possível, mas no final é o comportamento humano que permite as intrusões não autorizadas ou o roubo de informação. Por si próprias, as soluções técnicas não resolvem esses problemas. É por isso que várias universidades e empresas na Europa estão a trabalhar no projeto TREsPASS que presta atenção específica à dimensão humana.

O TREsPASS é financiado pela Comissão Europeia, como parte do 7th Framework Programme.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário