GfK revela que o mercado da tecnologia está em crescimento

9328
0
Share:

O índice GfK TEMAX registou um aumento de 6 por cento do mercado português de produtos tecnológicos, apresentando uma facturação de 707 milhões de euros no último trimestre do ano de 2013. Telecom e Informática continuam a ser os motores do crescimento. A área da imagem apresenta as quebras mais fortes. Os Electrodomésticos registam também um trimestre positivo.

 gfk

Telecomunicações: trimestre e ano positivos
O sector das telecomunicações regista um crescimento de 10,8 por cento em valor no último trimestre do ano relativamente ao seu período homólogo. Com um total de 465 milhões de euros, este mercado cresceu 15 por cento em valor no ano de 2013. Apesar da conjuntura económica não ter sido a mais favorável em 2012, nem no ano passado, o consumidor demonstrou grande apetência e vontade em ter um smartphone. Este foi o produto estrela do último trimestre e do ano de 2013. Cresceu 67 por cento em unidades e 69 por cento em valor comparando com 2012. De referir ainda o aumento do preço médio de 1,4 por cento. Com esta performance 2014 apresenta-se como um ano com óptimas perspectivas para este sector e para os smartphones em particular.

Electrónica de Consumo: Ainda negativo
Continuam a registar-se algumas melhorias neste sector. Contudo, o último trimestre ainda foi negativo, a quebra de 5,3 por cento contrasta com os mais de 20 por cento do total do ano. Tendo em conta que o último trimestre do ano passado foi muito negativo esta queda de 5 por cento revela que o mercado ainda foi mais ao fundo. Apesar da época de promoções e de ofertas, este é ainda um dos sectores mais afectados, onde se destacam as colunas, muito devido ao sucesso das soundbars e claro os televisores LED que continuam a ganhar peso.

Foto: A queda das compactas
Com uma quebra superior a 10 por cento tanto no trimestre, como no ano, mais do que a crise, assiste-se a uma mudança de paradigma que apesar de anunciada nunca foi tão forte como agora. Com o enorme crescimento dos smartphones e dos phablets, não restou muito espaço para as câmaras compactas. E à medida que os fabricantes de telemóveis vão tornando melhores as lentes e a capacidade de criar imagens/filmes com os smartphones, mais se irá acentuar ou pelo menos manter a tendência.

Pequenos electrodomésticos: um ano positivo
O último trimestre trouxe boas notícias ao universo dos pequenos eletrodomésticos. O crescimento de 6,5 por cento deve-se em parte ao desempenho dos preparadores de alimentos, que tiveram uma maior dinâmica e um forte aumento da facturação.
No lado oposto, encontramos as máquinas de café, em que as campanhas agressivas ditaram uma queda significativa do mercado em valor. O ano terminou positivo, com um crescimento de 2 por cento.

Grandes Electrodomésticos: último trimestre salva ano de queda
Impulsionado pelo forte crescimento homólogo do mês de Outubro, o 4.º trimestre dos grandes electrodomésticos fechou positivo, situando-se nos 6 por cento. Contudo, esta evolução não bastou para compensar as quedas dos três primeiros trimestres, saldando-se o ano nos -0,3 por cento.
O destaque vai para as máquinas de secar, cujas vendas têm beneficiado em grande medida da pluviosidade que se tem feito sentir, crescendo mais de 30 por cento no total do ano face ao homólogo.

Informática: Sector com melhor tendência no Q4
Os tablets foram o produto responsável pelo forte crescimento do sector de informática no último trimestre de 2014, este produto já representa cerca de um terço do mercado.
Por outro lado os Pc’s portáteis, apesar de apresentarem uma tendência ligeiramente negativa em valor (-4 por cento), continuam a representar mais de 40 por cento do sector. Neste produto os segmentos ultrathin e touch continuam a ganhar importância, em tendência contrária aparece o segmento dos Netbooks que praticamente desaparece do mercado, o que faz com que o preço médio do produto esteja a crescer. Resumindo estes dois produtos representam aproximadamente 80 por cento do sector de informática.

Equipamento de escritório e Consumíveis: Impressoras (hardware) a recuperar pelo preço
Apesar das tendências do sector de equipamento de escritório continuarem negativas (-8 por cento), nota-se em alguns produtos uma com tendências já são positivas, é o caso do hardware impressão que no quarto trimestre apresenta uma inclinação ligeiramente positiva em valor (+0.2), apesar de em unidades se venderem menos máquinas o preço médio está a crescer o que faz com que em valor a tendência já não seja negativa.

Se no hardware a propensão é positiva, já nos consumíveis ainda é negativa, com cerca de -11 por cento, este produto que no total de equipamentos de office representava cerca de 75 por cento do mercado (Q4_2012) está a perder importância, representando no último trimestre pouco mais de 70 por cento.

Por fim os videoprojectores no último trimestre do ano apresentaram uma tendência positiva de 9 por cento.

tabelaresumo


Share:

Deixe o seu comentário