18527 0

Estudo revela que os Portugueses são os europeus que mais negoceiam preços desde a crise

De acordo com a nova edição do Observador Cetelem do Consumo, cerca de 77% dos consumidores portugueses afirmam negociar mais os preços do que há cinco anos, uma percentagem significativamente acima da média europeia (59%). Além de serem os que negoceiam mais, os portugueses são aqueles que prestam mais atenção aos preços desde a crise (91% contra uma média europeia de 83%). Paradoxalmente são também os consumidores portugueses os menos propensos a fazer compras inteligentes, tais como a caça às promoções, as compras de ocasião ou o low cost. Apenas 31% admitem fazê-lo mais do que há cinco anos, um valor consideravelmente abaixo da média europeia (79%).

Além dos preços, os consumidores estão também mais atentos à qualidade e ao impacto das suas compras. Os portugueses estão entre os europeus que, desde a crise, mais atenção dão à origem e composição dos produtos: cerca de 73% contra uma média europeia que ronda os 67%. À frente de Portugal está apenas a Roménia (86%), a Itália (83%) e a República Checa (75%), onde a percentagem de inquiridos interessados em conhecer a origem dos produtos é ligeiramente superior.

Verifica-se ainda que a preocupação com a proteção do meio ambiente é cada vez mais visível, nomeadamente no consumo e no próprio momento de compra. Cerca de 68% dos portugueses dizem dar mais atenção ao impacto ambiental dos produtos do que há cinco anos atrás, uma percentagem acima da média europeia que se situa nos 60%. Assim, Portugal encontra-se no top 3 de países mais preocupados com o impacto das compras no ambiente, logo a seguir à Itália (73%) e à Hungria (69%).

A mais recente edição do Barómetro Europeu revela ainda que a maioria dos portugueses (91%) confessa fazer mais compras importantes hoje do que há cinco anos. Portugal é aliás o país onde essa percentagem é maior: no resto da Europa, a média de consumidores a afirmar ter aumentado o número de compras importantes fica-se pelos 64%.

«Passados cinco anos desde o início da crise, nota-se uma grande evolução nas práticas de consumo dos europeus especialmente nas dos portugueses. Hoje, os consumidores estão mais atentos ao preço, o que traduz a predominância da problemática das questões orçamentais. Mas além do preço, os portugueses estão também cada vez mais preocupados com a origem dos produtos e o impacto dos mesmos no ambiente, o que revela a adoção de um comportamento de compra mais responsável», explica Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem.

Para as análises e previsões deste estudo foram inquiridos 8.719 europeus (pelo menos 500 indivíduos por país, com idade superior a 18 anos) através da Internet, em 12 países: Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Itália, Portugal, Reino Unido, Hungria, Polónia, República Checa, Eslováquia e Roménia. Os inquéritos foram realizados entre 4 de novembro e 2 de dezembro de 2014 pelo Observador Cetelem, em parceria com a sociedade de estudos e consultoria BIPE, com base num inquérito barométrico conduzido pela TNS Sofres.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Axis apresenta novas câmaras de rede fixas com alta resolução

A Axis apresentou dois novos modelos topo de gama de câmaras de rede fixas pertencentes à gama AXIS P13 Series. Tirando o máximo partido da tecnologia de ponta,

10 Dicas Essenciais para tornar um Centro de Dados mais eficiente

Para que os centros de dados profissionais sejam mais eficientes no uso que fazem da energia é necessário implementar uma série de enfoques operativos pragmáticos. Um dos elementos

Xerox lança FreeFlow Core para a industria das Impressão Digital e Artes Gráficas

A Xerox lançou uma nova plataforma que serve as actuais e futuras necessidades de automatização dos clientes – o Xerox FreeFlow Core. Esta ferramenta apresenta-se com um forte cariz

IBM lança nova ferramenta de desenvolvimento para serviços financeiros

A IBM anunciou o lançamento do IBM Cloud para Serviços Financeiros para oferecer os blocos de construção essenciais para a criação de aplicações de serviços financeiros na Cloud

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *