Estudo PHC revela tecido empresarial preparado para alterações fiscais

9768
0
Share:

A PHC disponibilizou o “Estudo Empresas Darwin”. Esta pesquisa foi elaborada ao longo dos últimos meses e baseou-se num inquérito a mais de 300 empresas a operarem no mercado nacional. Os objetivos passaram por fazer um levantamento dos conhecimentos sobre as alterações legais do ano de 2013, entre as quais se destacam as que vão entrar em vigor a partir de 1 de julho, e as suas implicações no modus operandi das organizações nas suas operações diárias.

As implicações das mudanças na legislação de bens de circulação e o novo
SAF-T(PT) foram dois dos temas abordados num estudo que procurou ainda saber a forma como as empresas usam o software de gestão e como o encaram enquanto ferramenta de garantia de maior capacidade de resposta.

O estudo agora divulgado disponibiliza algumas conclusões, das quais se destacam as seguintes:

  • 80% das empresas inquiridas mostraram estar devidamente informadas sobre as alterações fiscais que vão entrar em vigor no primeiro semestre deste ano.
  • As empresas do universo PHC estão mais bem informadas sobre as alterações fiscais previstas para julho que as restantes organizações – 87% face a 79%.
  • 91% das empresas inquiridas referiram ter tido o tempo necessário para preparar as suas plataformas para a nova realidade. É nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Norte que se encontra a grande maioria das empresas que assume uma boa preparação para os desafios do novo panorama legal.
  • Quando questionadas sobre a importância que o software de gestão tem para a conquista de capacidade de resposta, 72% das empresas consultadas, numa análise integrada de valores, apontam com as melhores três notas atribuíveis no estudo: entre 8 e 10.
  • 42% das empresas inquiridas aproveita as atualizações de software para adicionar módulos e funcionalidades às soluções. Esta oportunidade é mais evidente nos setores da Indústria (71%), da Distribuição (57%), dos Transportes (56%) e da Hotelaria (55%).
  • Da conclusão anterior destaca-se que a maioria das empresas do universo PHC (51%) aproveitam a obrigatoriedade fiscal para evoluir a sua solução de gestão e acrescentar funcionalidades. Apenas 25% das empresas que não são PHC têm esse intuito.
  • Quando questionadas sobre a importância do software de gestão como enabler de melhor capacidade de resposta (nota de 1 a 10), 42% das empresas dão nota máxima às soluções de software (10), sendo que 73% das organizações consultadas atribuem uma nota entre 8 e 10.
  • Nas organizações de mais de 200 colaboradores, todas as empresas consideram “importante” ou “muito importante” a utilização de software de gestão (notas 8 a 10). 57% destas empresas dão nota máxima na hierarquia de valores proposta pelo Estudo. Nas empresas com menos de 50 trabalhadores, 43% das inquiridas atribuem nota máxima à importância do software de gestão.
  • O software de gestão é particularmente reconhecido como potenciador desta capacidade de resposta no setor da Saúde, onde 75% das empresas atribui nota máxima (10) a soluções desta natureza.

Analisando todo o estudo, verifica-se que as empresas nacionais estão bastante atentas às alterações legais e às medidas que devem tomar para cumprir com a legislação. O software de gestão é visto como sendo incontornável e até como uma peça importante, não só para responder às novas leis, mas também para dar uma maior capacidade de resposta às empresas. Os parceiros tecnológicos das empresas são o ponto primordial de auxílio para responder às novas alterações legais, no entanto, algumas empresas também não dispensam as recomendações dos seus contabilistas ou consideram aumentar a formação dos seus colaboradores para responder às novas imposições.

O estudo espelha também o crescimento que os gestores nacionais têm tido ao longo dos anos, dando uma cada vez maior importância à área do software de gestão e à forma como este tipo de soluções pode dinamizar o funcionamento da sua empresa.

De acordo com Ricardo Parreira, CEO da PHC Software, o Estudo de Empresas Darwin “permitiu tirar algumas conclusões interessantes, que esclarecem a forma como os responsáveis das empresas encaram o papel do software de gestão nas suas organizações e a forma como valorizam estas plataformas, possibilitando uma maior competitividade e capacidade de resposta. ” O responsável da PHC sublinha a relevância do estudo e a preocupação em incluir empresas dentro do Universo PHC e fora dele, bem como “representantes dos mais variados setores de atividade, localizadas nas várias regiões nacionais e com dimensões diferentes – desde micro empresas até grandes companhias com mais de 200 trabalhadores”, para que seja possível “tirar conclusões por diferentes atividades, por segmentação geográfica e por dimensão de empresa”. “No estudo, é importante também realçar que a maioria das empresas do universo PHC vão ficar mais bem preparadas, pois mais de 50% tem o intuito de aproveitar esta obrigatoriedade fiscal para evoluir a sua solução de gestão e acrescentar funcionalidades.”

O Estudo Empresas Darwin foi elaborado com base num inquérito a empresas geograficamente dispersas pelo território nacional (continente e ilhas). Entre as 302 empresas inquiridas, 200 são clientes ou parceiras PHC. As organizações representam os mais diversos setores de atividade, como a indústria hoteleira, a construção civil, a área da saúde, o retalho, a distribuição ou a agricultura, entre outras. Os inquéritos foram realizados no período entre 8 e 19 de abril de 2013.

Simultaneamente, a PHC apresentou também um manual gratuito que aborda precisamente as boas práticas para as empresas relativamente às novas alterações fiscais, e que esclarece todas as dúvidas sobre as mesmas. Neste manual, disponível para download no site www.phc.pt, as empresas podem ver todas as suas questões sobre as novas alterações respondidas, como por exemplo “o que é o SAF-T?”, e obter dicas práticas de como devem tratar e entregar este novo ficheiro de forma a cumprir com todas as suas obrigações legais.

Para mais informações sobre o Estudo Empresas Darwin, visite www.phc.pt.


Share:

Deixe o seu comentário