21340 0

Estudo Kaspersky Lab: um único incidente de segurança online pode custar até 765.000€ a uma grande empresa

O custo de um único problema de cibersegurança numa grande empresa pode representar mais de 765.000 € de prejuízo, em média, para a organização. Esta é uma das principais conclusões do relatório Kaspersky Lab “Medindo o impacto financeiro da segurança cibernética nas empresas”, elaborado com base no estudo Corporate IT Security Risks 2016 . Entre outras coisas, a investigação calcula também o impacto que uma mesma ameaça tem nas PME: prejuízos ascendem em média a 77.000 €.

Um dado alarmante diz respeito à rapidez da descoberta da falha de segurança: se for detetado uma semana ou mais depois, as PMEs gastam em média 44% mais a recuperar do ataque do que se este fosse identificado no próprio dia. Às grandes empresas esta resolução tardia representar custos acrescidos em 27%.

Orçamentos maiores para fazer face à complexidade de infraestruturas TI

No estudo de 2016, a Kaspersky Lab comparou pela primeira vez o orçamento de uma organização alocado para a área de segurança com os prejuízos que ocorreram a partir de incidentes de segurança online. No geral, as empresas esperam que os orçamentos relativos à segurança das TI cresçam pelo menos 14% durante os próximos três anos, devido ao aumento da complexidade das infraestruturas TI. As pequenas empresas utilizam, geralmente, cerca de 18% do seu orçamento total das TI em segurança, enquanto as grandes empresas atribuem 21% ao mesmo. O estudo mostra uma disparidade significativa entre negócios de diferentes dimensões, com orçamentos de segurança anuais a variar desde os cerca de 900€ para pequenas empresas até quase 900.000 € para grandes empresas.

Custo de recuperação: horas extra de colaboradores e mais

Para fazer uma estimativa do valor total da recuperação, a Kaspersky Lab e o B2B International solicitaram às empresas que fizessem um relatório onde colocassem os prejuízos que resultassem dos mais preocupantes incidentes de segurança em diferentes categorias. Embora os custos mais frequentes pertençam a remunerações adicionais, as empresas relataram gastos significativos devido a perdas de oportunidades de negócio, melhorias na segurança das TI, na contratação de especialistas externos e de novos colaboradores. As empresas acabam por gastar cerca de 70.000€ em formação e 75.000€ na solicitação de ajuda a especialistas externos – o que se converte num total de 19% de prejuízo.

No que diz respeito ao ROI…

“Com base no nosso estudo realizado à escala global, a média de um orçamento de segurança nas TI vale apenas 2.5 ataques online, com todas as perdas, diretas e indiretas, levadas em consideração. Com centenas de ameaças a atacar o mundo empresarial todos os dias, uma solução de segurança online eficiente vale sem dúvida a pena. As empresas entendem claramente as ameaças: cerca de 59% das pequenas e médias empresas e 62% das grandes empresas afirmam vir a melhorar a sua segurança independentemente de possuírem ou não uma forma de medir o retorno,” comenta Alfonso Ramírez, Diretor Geral da Kaspersky Lab Iberia.

“No entanto, o estudo prova que o tempo de reação pós ataque tem um impacto direto nas perdas financeiras. Isto é algo que não pode ser corrigido através do aumento do orçamento. É algo que requer talento, inteligência e uma atitude ágil perante a proteção de um negócio. Enquanto fabricantes de produtos de segurança, acreditamos que ferramentas e serviços de inteligência são uma mais valia para negócios de todas as dimensões,” afirma Ramírez.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Cientistas da IBM distinguem pela primeira vez ligações moleculares individuais

Cientistas da IBM conseguiram pela primeira vez desvendar as ligações químicas existentes em moléculas individuais, utilizando uma técnica conhecida como microscopia de força atómica (AFM, em inglês). A

Staples lança Campanha de Retomas de portáteis e desktops

A Staples lançou uma campanha de retomas de portáteis e desktops. Na compra de um portátil ou desktop com o Windows 8 nas lojas Staples, poderá receber 100

Gateway cresce 6% em vendas em 2012

A Gateway Portugal anunciou um crescimento de 6% em vendas no ano fiscal de 2012. Este contraciclo deve-se nomeadamente ao ganho de novos clientes, ao crescimento das vendas

Uber lança ‘Perfil de Empresa’ para deslocações profissionais

A gestão das viagens empresariais com a Uber ficou mais simples. Com o novo ‘Perfil de Empresa’, a Uber permite agora separar os percursos e faturas pessoais das

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *