26384 0

Estudo IDC: Agilidade e simplicidade na gestão de ambientes cloud computing

A adoção de serviços de cloud computing em Portugal já é uma realidade. Esta é uma das principais conclusões do estudo Tendências na gestão de ambientes cloud computing, realizado pela consultora IDC. Mais de metade das organizações já procederam à implementação destes serviços em modelo privado, enquanto cerca de metade já adotaram estes serviços em modelo hosting. Resta ainda sublinhar que mais de 42% das organizações nacionais já procederam à contratação de serviços públicos de cloud computing.

O estudo evidencia o interesse crescente das organizações nacionais na implementação ou na expansão de serviços de cloud computing, em particular nos próximos 12 meses.
”Os serviços de cloud computing deixaram de ser uma opção e passaram a ser uma prioridade tecnológica”, sublinha Timóteo Figueiró, Research & Consulting Manager
da IDC Portugal. Presentemente, as empresas nacionais já utilizam diferentes modelos de cloud computing, em conjunto com a sua infraestrutura tradicional. E a sua utilização em simultâneo veio aumentar nos próximos anos.

Esta evolução para a adoção de clouds híbridas está relacionada com a necessidade de utilizar diferentes modelos tecnológicos para responder aos requisitos diferenciados dos dados no decorrer do seu ciclo de vida.
”Os dados atravessam diferentes fases no decorrer do seu ciclo de vida e os requisitos de latência, desempenho e escalabilidade podem ser distintos consoante a fase do ciclo de vida. Por tanto, o modelo de implementação de serviços de cloud computing mais adequado pode alterar-se no decorrer do ciclo de vida”, explica Timóteo Figueiró. Alterar o modelo cloud computing implica a movimentação dos dados entre diferentes ambientes ou entre diferentes fornecedores de serviços.

Assim, não será de estranhar que 25% das organizações considere a portabilidade dos dados e das cargas de trabalho como o fator mais importante para o crescimento dos serviços públicos de cloud computing, atrás da segurança que ocupa a primeira posição (26%).
O crescimento da utilização de serviços de cloud computing está condicionado pela capacidade de gestão de ambientes híbridos das organizações. Segundo dados de estudos da IDC, cerca de 60% das organizações sublinha a importância de escolher diferentes opções tecnológicas, ter a flexibilidade de migração dos dados consoante as suas necessidades e ter um ‘broker’ dinâmico de serviços de TI, ou seja, um intermediário que as auxilie a selecionar a opção com mais valor em cada momento.
Neste contexto, a NetApp apresenta o modelo Data Fabric, que possibilita que as organizações movimentem os seus dados entre diferentes ambientes tecnológicos, seja no interior do centro de dados da organização ou o fornecedor de serviços de cloud computing. Proporcionar uma capacidade de gestão única e coerente que facilite a compatibilidade entre diferentes ambientes é o principal objetivo da solução Data Fabric.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

PrimeIT pretende recrutar 230 colaboradores até final do ano

A PrimeIT tem em curso um processo de forte recrutamento para os seus escritórios de Lisboa, Paris, Londres e Lyon. Atualmente a empresa tem em aberto 150 vagas

Reino Unido, Alemanha e Espanha são os principais mercados de exportação para os produtos Portugueses

Atualmente, o comércio transfronteiriço é uma parte integrante do mundo globalizado e um campo de rápido crescimento. O comércio transfronteiriço oferece uma variedade de oportunidades para que os

Hitachi Data Systems revela o primeiro sistema empresarial do mercado a integrar a sincronização e a partilha de ficheiros

A CESCE SI anunciaram um leque de novas soluções e serviços que permitem às empresas a adoção mais rápida de uma estratégia de cloud computing, a criação de

Ericsson preparada para testes 5G com Protótipos de Rádio com os principais operadores em 2016

Com o início das redes 5G comerciais em 2020, a Ericsson está a responder aos requisitos dos operadores para testes no terreno já a partir de 2016 com

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *