Estudo Global: Líderes Empresariais Admitem “Não estamos preparados para o futuro Digital”

8184
0
Share:

O novo estudo, The Information Generation: Transforming The Future, explora o impacto de uma crescente comunidade global de cidadãos digitais. Foram ouvidos 3600 líderes empresariais em 18 países, abrangendo empresas de grande e média dimensão em nove sectores para determinar os principais fundamentos empresariais exigidos para ter sucesso hoje e ao longo da próxima década. O Institute for the Future dirigiu a criação do estudo para identificar e prever os fundamentos e as mudanças no mundo digital.

De acordo com o apurado, 96% dos líderes empresariais acreditam que as novas tecnologias mudaram definitivamente as regras dos negócios, 93% relatam que os recentes avanços tecnológicos estão a redefinir as expectativas do cliente, e quase todos dizem que isso evoluirá mais rapidamente na próxima década. A expectativa Top dos clientes é o rápido acesso aos serviços, 24×7, o acesso e conectividade em qualquer lado a qualquer momento. Acesso este em cada vez mais dispositivos e mais personalizado.

Os Atributos fundamentais para Redefinir o Futuro

Tendo em conta as necessidades da nova Geração de Informação, os gestores consideram que a transformação é crítica. Os líderes empresariais identificaram cinco atributos de negócio chave, todos eles com a informação como ponto central:

  1. Mecanismos de deteção de novas oportunidades de mercado
  2. Demonstração de transparência e confiança
  3. Inovação de forma ágil
  4. Fornecer experiências únicas e personalizadas
  5. Operar em tempo real

Apesar dos líderes empresariais admitirem que estes são os atributos com elevada prioridade, poucos são os que já os concretizam. Apenas 12% dos entrevistados afirmaram conseguir perceber novas oportunidades, 9% inovam com agilidade, 14% demonstram transparência e confiabilidade, 11% oferecem experiência personalizada e 12% funcionam em tempo real.

Segundo David Goulden, CEO da EMC Information Infrastructure, “Os consumidores estão a exigir mais das organizações com que interagem. Os negócios “nascidos na Cloud” já estão a promover esta nova forma de viver, e os negócios mais antigos precisam de repensar e criar formas de transformação e adaptação para atender às expectativas destes novos consumidores.”

A utilização da vantagem estratégica que o Big Data proporciona também não está clara, 49% das empresas admitiram não saber como utilizar as informações em seu benefício, 70% disseram que conseguem informações relevantes com os dados recolhidos, mas apenas 30% são capazes de lidar com elas em tempo real. O crescimento exponencial de dados gerados não é aproveitado de forma eficiente por 52%, que inclusive admitiram estar submersos pela avalanche de informações sem conseguir dar utilidade prática ao que é recolhido. E apenas 24% dos entrevistados se consideram “muito bons” a transformar os dados em informações e ideias úteis.

O Institute for the Future previu importantes mudanças na forma como a tecnologia transformará o mundo por volta de 2024. Existe um movimento na direção de um mundo em que toda a ação quotidiana gera dados. As pessoas e as corporações venderão, doarão e negociarão informações em negociações abertas. Objetos inanimados ganharão vida á nossa volta, tornando-se mais alertas, mais visíveis e conectados. A tomada de decisões será aperfeiçoada pela inteligência artificial de um modo nunca visto. As informações serão comunicadas e absorvidas por vários sentidos humanos. Com novas ferramentas, os consumidores serão capazes de controlar melhor a sua privacidade. Nessa nova ordem mundial, o valor vai deslocar-se dos produtos e serviços para as informações que eles geram.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário