Estudo Gfk para a BQ revela dados relacionados o uso dos smartphones em Portugal: preço, qualidade e sistema operativo determinam compra

13288
0
Share:

A duração da bateria juntamente com o preço são as características mais valorizadas num smartphone mas o preço, a qualidade e o sistema operativo são os três principais motivos que determinam no acto de compra.

Estas são algumas das principais conclusões do Estudo BQ sobre hábitos de consumo de smartphones na Europa realizado pela Gfk para a empresa tecnológica espanhola em Portugal, Espanha, Reino Unido, França, Alemanha, Áustria, Itália, Suécia e Suíça.

Aspectos mais valorizados e utilização do smartphone Os entrevistados portugueses referiram que na compra de smartphone da marca BQ foram valorizados a bateria, o serviço pós venda, o móvel livre, o preço e o sistema operativo, tendo sido porém o preço que determinou a sua compra.

Os homens e os adultos com menos de 35 anos são quem mais compram smartphones livres de operador. Para as mulheres, a câmara fotográfica é significativamente mais importante, enquanto que para os homens, a marca, o facto de serem livres de operador, dual SIM e a duração da bateria são as características que mais valorizam.

Pais com filhos menores de 17 anos, consideram a marca o mais importante, sendo que os que não têm filhos valorizam mais a cobertura 4G. Dos 15 aos 35 anos, o sistema operativo é significativamente mais importante. Dos 36 aos 55 anos, a qualidade, a boa experiência prévia e a câmara são os factores mais importantes e para quem tem mais de 55 anos a cobertura 4G.

Do total dos entrevistados, 63% dedica mais de duas horas por dia ao uso do smartphone e a casa (55%) é o local onde este tem mais tempo de utilização (downloads, vídeos/fotos, compras e videoconferências). Quando se está fora de casa, o smartphone é mais utilizado para fazer chamadas telefónicas, navegar na Internet, tirar fotos e ouvir música. As mulheres e os jovens entre os 15 e os 35 anos são quem dedica mais tempo ao uso de smartphones e aqueles que o utilizam menos tempo são os homens e os maiores de 55 anos.

O maior benefício associado pelos portugueses ao uso do smartphone é a ligação à Internet (80%) em qualquer lugar e o aspecto menos positivo é gerar dependência (45%). Do total dos entrevistados, 87% não utiliza o smartphone como meio de pagamento. A rede social mais utilizada através do smartphone pelos portugueses é o Facebook (90%).

Estudo sobre o uso de smartphones na Europa

Portugal é o país do painel de amostra na Europa que pagou menos por um smartphone (média dos portugueses inquiridos pagou 222 euros) e a Inglaterra foi quem pagou mais. Em relação à próxima compra que estão dispostos a fazer, os portugueses são novamente os que estão dispostos a pagar menos e os suíços o que pretendem despender a maior verba.

Os entrevistados de Alemanha, Espanha Itália, e Suécia são os que mais compram smartphones desbloqueados. Por sua vez, os entrevistados  de França, Portugal e Suíça são aqueles que mais compram através do operador.

Segundo o estudo, a duração da bateria é, em todos os países analisados, a característica mais importante num smartphone, no entanto, não determina qual a marca a comprar. O preço é o principal motivo que determina a compra do seu smartphone pelos Portugueses e Franceses enquanto os Alemães dão primazia à qualidade e os Austríacos e Suíços privilegiam a boa experiência anterior e os italianos o sistema operativo.

Os Portugueses (entre 2 e 3 horas) e os Suecos (mais de 3 horas) são quem mais tempo despende com o smartphone e os Franceses e Ingleses quem menos tempo dedica (até uma hora).

O uso do smartphone em casa é significativamente maior na Alemanha, Áustria, Reino Unido e Suécia, e em Espanha, França e Portugal é usado mais frequentemente fora de casa. Portugal é o país onde o smartphone é mais utilizado no trabalho e nos outros países nos meios de transporte.

O aspecto mais positivo atribuído ao uso do smartphone é permitir a ligação à Internet em qualquer lugar, principalmente pelos inquiridos de  Espanha, Portugal e Itália. Já na Áustria, Espanha e Suíça o aspecto positivo mais relevante é a câmara fotográfica e na Suécia a utilização do email.

Em todos os países europeus participantes no estudo da Gfk, o principal aspecto negativo relacionado com o uso do smartphone é o fato de criar dependência.

Na Itália, Reino Unido e Suécia o smartphone é mais utilizado como meio de pagamento.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário