Estudo da Aon prevê aumento de ataques cibernéticos em 2017

19976
0
Share:

A Stroz Friedberg apresenta o seu mais recente Estudo “2017 Cibersecurity Predictions”. Os resultados apontam para uma maior incidência dos ataques cibernéticos, fortes impactos ao nível da regulação e uma mudança na forma como as empresas encaram e gerem os riscos cibernéticos. Estas são as principais conclusões do estudo sobre as previsões de cibersegurança para o presente ano.

De acordo com o estudo “2017 Cibersecurity Predicitons”, as maiores ameaças incluem casos de ciberespionagem, um crescente aumento dos ataques que colocam em causa a integridade dos dados, e uma maior ameaça por parte dos ataques relacionados com os dispositivos IoT (Internet of Things) aproveitados como pontos de lançamento para a propagação de malware, SPAM, ataques DDoS (Distributed Denial of Service) e manutenção do anonimato das atividades maliciosas.

A espionagem cibernética e a guerra de informação influenciam as estratégias globais e políticas, como aconteceu durante a campanha para as eleições norte-americanas, quando hackers supostamente associados ao governo russo invadiram os servidores do Partido Democrata, da candidata Hillary Clinton, e expuseram e-mails confidenciais, levando à demissão da Presidente do Partido Democrata, Debbie Schultz.

Em conclusão, o estudo da Aon deixa o alerta às empresas para a otimização da cibersegurança e a avaliação dos riscos. Apesar do papel desempenhado pelos governos e pelas legislações, em 2017 prevê-se que cada vez mais empresas se consciencializem para esta ameaça e adotem medidas de autorregulação através da criação de normas de segurança mais rigorosas e recurso a serviços de gestão de risco e de cibersegurança.

Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário