Estado Português reconhece OutSystems na área de I&D

12144
0
Share:

A OutSystems foi certificada, em matéria de Investigação & Desenvolvimento, nas áreas de Desenvolvimento e Manutenção de Software, User Experience e usabilidade,

Linguagens de programação e ambientes de desenvolvimento, Sistemas distribuídos, Metodologias de desenvolvimento, Modelação de processos, Arquiteturas de software, Engenharia de software e Operação de sistemas, no âmbito do programa SIFIDE II, uma iniciativa da Secretaria de Estado da Ciência e da Secretaria de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação.

Este reconhecimento permite a utilização das despesas incorridas com os serviços prestados pela OutSystems no âmbito do Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarial II (SIFIDE II), o qual prevê que as empresas residentes em território português possam deduzir ao montante apurado de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC) as despesas em I&D realizadas até 31 de dezembro de 2015, de acordo com as seguintes percentagens:

– Taxa base de 32,5% das despesas incorridas no período;
– 50% do acréscimo das despesas incorridas no período em relação à média aritmética simples dos dois exercícios anteriores.

Ao implementarem soluções desenvolvidas com base na Agile Platform da OutSystems, as empresas podem assim ganhar agilidade no negócio, tornarem-se mais eficientes e melhorarem a produtividade interna ao mesmo tempo que obtêm benefícios fiscais, algo particularmente relevante na atual conjuntura.

O programa SIFIDE II tem como objetivo continuar a aumentar a competitividade das empresas, apoiando o seu esforço em I&D e destina-se a sujeitos passivos de IRC, residentes em território português que exerçam, a título principal ou não, uma atividade de natureza agrícola, industrial, comercial ou de serviços, bem como a não residentes com estabelecimento estável no território.

O SIFIDE II contempla duas categorias de despesas dedutíveis:

– Despesas de investigação: realizadas pelo sujeito passivo de IRC com vista à aquisição de novos conhecimentos científicos ou técnicos

– Despesas de desenvolvimento: realizadas pelo sujeito passivo de IRC através da exploração de resultados de trabalhos de investigação ou de outros conhecimentos científicos ou técnicos com vista à descoberta ou melhoria substancial de matérias-primas, produtos, serviços ou processos de fabrico.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário