25123 0

ESET junta-se à Microsoft e agências policiais para derrubar botnet Gamarue

Investigadores de segurança da ESET, em colaboração com a Microsoft e agências policiais – FBI, Interpol, Europol deitaram abaixo uma das maiores botnets existentes, conhecida por Gamarue, que infetava vítimas desde 2011.

A operação para derrubar a botnet começou a 29 de novembro de 2017, e como resultado desde esforço conjunto, agências policiais por todo o mundo conseguiram fazer uma detenção e obstruir a atividade da família de malware responsável por infetar mais de 1,1 milhões de sistemas por dia.

Os Investigadores de ambas as empresas partilharam análises técnicas, dados estatísticos e domínios conhecidos de servidores de comando e controlo (C&C) para ajudar a interromper a atividade maliciosa do grupo. A empresa de antívirus partilhou também o seu conhecimento histórico sobre a botnet, adquirido graças à monitorização contínua do malware e do seu impacto nos utilizadores durante os últimos anos.

O que é Gamarue?

Criada por cibercriminosos em setembro de 2011 e vendida como um kit na Dark Web em fóruns obscuros, o propósito da família Gamarue era roubar credenciais e instalar malware adicional nos sistemas dos utilizadores.

Esta família de malware consiste num bot configurável, permitindo ao seu dono criar e usar plugins personalizados. Um destes plugins permite ao cibercriminoso roubar dados introduzidos pelos utilizadores em formulários web, enquanto outros permitem aos criminosos ligar-se a sistemas comprometidos e controlá-los.

Como é que a ESET e a Microsoft recolheram informação?

Utilizando o serviço Threat Intelligence da ESET, os seus investigadores conseguiram criar um botcapaz de comunicar com o servidor C&C da ameaça. Desta forma, as duas empresas seguiram de perto as botnets Gamarue durante o último ano e meio, identificando os seus servidores C&C e monitorizando o que era instalado nos sistemas das vítimas. As duas empresas compilaram assim uma lista de todos os domínios utilizados pelos cibercriminosos como servidores C&C.

Para os utilizadores que suspeitem de ter o seu sistema windows afetado poderá utilizar o ESET Online Scanner, que remove qualquer ameaça, incluindo a Gamarue, encontrada no sistema.

 


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Kaspersky Lab e SynerScope unem forças para combater a fraude e o cibercrime financeiro

A Kaspersky Lab e a SynerScope anunciaram um acordo de colaboração para o desenvolvimento de um serviço único e inovador para fazer frente à fraude e ao cibercrime

23% dos utilizadores não actualizam os seus browsers

A Kaspersky Lab apresenta as principais conclusões do seu último relatório sobre web browsers, segundo o qual a maioria dos ciber-ataques actuais explora as vulnerabilidades existentes nas aplicações

Mensagens falsas de identificações em fotografias do Facebook circulam na web

Tenha atenção se receber um e-mail do Facebook a dizer que foi identificado numa foto, porque pode muito bem ser malware, de acordo com diversos especialistas em segurança.

Número de ataques do RoughTed e Fireball cai em julho

A Check Point revelou que o número de empresas afetadas pela campanha de malvertising (publicidade fraudulenta) RoughTed caiu mais de um terço em julho, dos 28% para os

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *