16878 0

Ericsson lidera projetos de estandardização de 5G da União Europeia

A Ericsson continua na linha da frente do desenvolvimento de sistemas 5G como coordenadora do novo projeto METIS-II da União Europeia para desenvolver o design global do sistema de rádio 5G e as recomendações do roadmap para a estandardização de 5G.

Do ponto de vista estratégico, o METIS-II irá facultar a estrutura de colaboração 5G no âmbito da 5G Infrastructure Public Private Partnership (5G-PPP) para uma avaliação comum de conceitos de rede de acesso rádio 5G e uma recomendação para o roadmap do espetro 5G. Irá ainda liderar a preparação de ações concertadas junto de entidades de estandardização e regulatórias.

O projeto centra-se num forte consórcio internacional, constituído por 23 parceiros de todas as regiões, com fortes iniciativas de I&D em 5G (China, EU, Japão, Coreia do Sul e Estados
Unidos da América) e envolve a maioria dos fornecedores internacionais, os principais operadores e as principais entidades de investigação.

O METIS-II terá assim a capacidade única de recolher um consenso global de forma a consolidar um cenário global das necessidades das indústrias móveis e verticais, e para dar a conhecer os
resultados às entidades, fóruns e grupos de estandardização relevantes em todas as regiões.

O projeto é cofinanciado pelo programa de investigação EU H2020 e conta com um orçamento de 8 milhões de euros.

Como o principal impulsor e coordenador do projeto METIS-II juntamente com o consórcio global, a Ericsson irá integrar tecnologias no design de acesso rádio e facultar uma plataforma para ações consertadas junto de entidades regulatórias e de estandardização. O projeto METIS II irá aproveitar o sucesso do METIS, o primeiro projeto integrado de 5G também impulsionado e coordenado pela Ericsson.

Além disso, a Ericsson irá assumir o papel de coordenadora técnica do projeto mmMAGIC (I). Esta iniciativa tem como objetivo o desenvolvimento e o design de novos conceitos de tecnologia de acesso rádio móvel para implementação no espetro 6-100GHz.

Ambos os projetos são importantes na preparação de um consenso que antecede a estandardização na indústria móvel. Facultam aos diferentes consórcios a oportunidade de debaterem e avaliaram várias ideias antes de as implementar no 3GPP (3rd Generation Partnership Project).

Tornar o 5G um standard global é o fator mais crítico para a digitalização das indústrias, para a Internet das Coisas (IoT) e para a banda larga móvel em todo o lado.

A estandardização é necessária para ligar pessoas em todo o mundo. Ao longo de várias gerações de redes móveis, a estandardização tem sido a pedra basilar que permite que redes de todo o mundo funcionem perfeitamente bem em conjunto, oferecendo aos utilizadores a mesma experiência.

A escala global inagualável da Ericsson, a sua respeitada posição na investigação e desenvolvimento e as suas sólidas relações com players globais colocam a empresa numa posição única para contribuir para a investigação na Europa e no mundo.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Pedro Borges Caroço Responsável para a área de Healthcare & Life Sciences

A Michael Page Portugal anunciou a contratação e nomeação de Pedro Borges Caroço como o seu novo Responsável para a área de Healthcare & Life Sciences. Esta contratação

Previsões da Symantec para 2017: a Internet das Coisas

A cada ano que passa, a indústria de cibersegurança enfrenta novas ameaças à medida que os cibercriminosos melhoram os seus ataques para aceder aos dados das organizações. Os

Claranet com Managed Backup Services dA EMC

A Claranet selecionou a EMC para realizar um projeto de Managed Backup Services, com base nas soluções EMC® Avamar® e EMC Data Domain. A Claranet tinha a necessidade

8 previsões de segurança mais importantes para 2014 segundo a WatchGuard

A WatchGuard divulgou as suas previsões para o ano de 2014. Realizadas por uma equipa de investigação da WatchGuard, a lista inclui os avanços esperados em ransomware, pirataria

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *