Entrevista: Florence Perrin, Senior Sales Manager da WD

17512
0
Share:

Com o crescimento exponencial que se espera para os sistemas NAS de pequenas dimensões (até 5 baías) nos próximos anos, fomos perguntar a Florence Perrin, Senior Sales Manager da WD para o Sul da Europa, como é que a empresa vê este desafio e se prepara para responder às necessidades do mercado.

Leak – De acordo com a IDC, o mercado para sistemas NAS [Network Attached Storage] até 5 baías deverá ter um crescimento anual de 86,2% entre 2011 e 2016. De que forma é que a WD vê esta tendência?

Florence P. – A WD olhou para estes dados e identificou uma lacuna no mercado. Até agora, para equipar os seus sistemas NAS de ambientes SOHO (pequenos escritórios/escritórios domésticos), os consumidores tinham de escolher entre usar discos concebidos originalmente para desktops ou então para servidores de topo-de-gama. E a verdade é que nenhum destes tipos de disco oferecia a melhor relação qualidade/preço ou sequer um total compatibilidade, uma vez que os ambientes NAS possuem as suas próprias particularidades no que diz respeito a soluções compatíveis e apenas alguns tipos de discos cobrem as suas necessidades.

Por isso criámos uma nova gama de discos rígidos, designada WD Red, a pensar especificamente neste mercado, concebidos de raiz e especificamente pré-testados para utilização em sistemas NAS, e integrámos uma tecnologia, designada NASware, que torna o processo de integração de discos numa simples experiência Plug & Play. Assim, deixou de existir um processo de tentativa-e-erro quando chega o momento de selecionar qual o disco mais adequado para um dado sistema NAS.

Leak – Além da compatibilidade, o que é que os consumidores podem esperar destes discos em termos de valor-acrescentado?

Florence P. – Ter discos compatíveis com o NAS ajuda a melhorar o desempenho do armazenamento, reduzindo preocupações comuns com os discos num sistema deste tipo, incluindo compatibilidade, integração, possibilidade de upgrade, fiabilidade e custo de posse que existem quando se usam discos que foram originalmente concebidos para desktops.

Por exemplo, muitos dos sistemas NAS têm ventoinhas para manter as temperaturas de funcionamento baixas. Ora se forem usados discos que operam com temperaturas mais elevadas, isto levará a que as ventoinhas sejam acionadas mais frequentemente e durante períodos de tempo mais prolongados, o que resulta num maior consumo de energia e ruído de funcionamento. No caso de sistemas NAS sem ventoinhas existe um risco ainda maior de aumento do consumo de energia.

A utilização de discos específicos para NAS ajuda a reduzir, senão mesmo a eliminar, este tipo de problemas. Os discos WD Red oferecem uma tecnologia de redução de consumo de energia que também baixa a temperatura de funcionamento, o que resulta numa solução mais fiável e mais acessível para ambientes NAS que funcionem 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Leak – Além dos benefícios para os utilizadores finais, estes discos trazem também vantagens para o canal?

Florence P. – Sem dúvida. Devido à grande capacidade de armazenamento, funcionalidades e segurança que estes sistemas NAS oferecem, espera-se que a sua adoção cresça significativamente ao longo dos próximos anos. Dados da IDC indicam que em 2017 poderá haver cerca de 13 milhões de sistemas NAS em utilização em todo o mundo, e uma boa parte destes serão sistemas SOHO de 1 a 5 baías.

O “sweet spot” entre discos desktop e empresariais tem sido relativamente ignorado em termos de soluções específicas de armazenamento de disco, uma situação que deixou não só os utilizadores mas também os canal numa situação complicada, tentando encontrar discos que fossem capazes de lidar com as particularidades dos ambientes RAID sem com isso sacrificar o fator preço.

O canal beneficia também dos discos WD Red, uma vez que pode assim oferecer com confiança este tipo de soluções aos seus clientes: sabem que irão funcionar em diferentes ambientes RAID e mesmo assim manter-se numa gama de preços atrativa. Neste cenário, dar ao canal o disco certo para a tarefa pretendida irá evitar que os utilizadores finais tentem adotar soluções de armazenamento alternativas mais baratas mas que acabem por resultar num sistema com problemas e discos avariados e, consequentemente, um maior rácio de equipamentos devolvidos e necessidades de suporte, com maior downtime para os clientes.

Leak – O que podemos esperar de evolução dentro desta gama WD Red?

Florence P. – O sucesso da nossa fórmula levou-nos a expandir a gama WD Red com discos de maior capacidade (até 4TB no formato de 3,5’’) e novas soluções com novos discos de 2,5’’ – em ambos os casos, produtos que mostrámos pela primeira vez na IFA 2013.

A ideia é oferecer um portfolio mais completo e alargado de soluções NAS para os clientes. Com os discos WD Red de 2,5’’, fomos os primeiros do mercado a oferecer este formato em produtos destinados especificamente a sistemas NAS SOHO.

Não temos dúvidas que iremos assistir à criação por parte dos OEMs de uma nova geração de sistemas NAS mais compactos, abrindo ainda mais o mercado para novas aplicações.


Share:

Deixe o seu comentário