Entrevista Fernando Amaral: Managing Partner da Sendys

22352
0
Share:

Utilizando como mote a comemoração dos 30 anos do Sendys, a Leak Business esteve à conversa com Fernando Amaral, Managing Partner da Sendys, que nos falou das principais soluções disponibilizadas pela Sendys Portugal, da internacionalização e ainda do papel estruturante da responsabilidade social nesta empresa.

Patrícia Fonseca: Quando surgiu e como nasceu o Sendys?

Fernando Amaral: O Sendys é um software que, este ano, comemora 30 anos. Foi criado em 1984, pela Prológica, mais tarde, fez parte do portefólio da Geslógica, e ainda integrou a Cap Gemini, antes de, em 2010, por via de um spin-off, ter passado para a Sendys Portugal, onde conhece um grande desenvolvimento. Não apenas em termos de internacionalização, mas também orgânico. A empresa, uma software house 100% portuguesa, começou com 13 colaboradores e tem atualmente 110.

P.F.: Quais as principais soluções disponibilizadas pela vossa empresa?

F.A.: A Sendys Portugal é especializada no desenvolvimento de software de gestão modular, adaptável a qualquer área de negócio, que permite às empresas gerir processos operacionais, administrativos e financeiros numa única solução totalmente integrada.
As soluções Sendys são desenvolvidas para serem implementadas numa perspectiva global ou modular, cobrindo as seguintes áreas funcionais:

  • Financeira
  • Recursos Humanos
  • Marketing
  • Comercial & CRM
  • Produção
  • Operações & Logística

A adopção do Sendys, e consequente integração de um conjunto disperso de informação, permite obter ganhos substanciais, não só em termos da operacionalização de automatização dos processos, mas também em termos do número de sistemas de informação de suporte à gestão e à tomada de decisão.

Para além de considerarmos que temos um software de excelência, que permite, de forma simples, o acesso e partilha da informação, e elevados níveis de interoperabilidade entre departamentos e sistemas, o que conduz a elevados níveis de eficiência, apostamos também no que, para nós, é fundamental: o serviço ao cliente.

Sem dúvida que um dos factores diferenciadores Sendys é a capacidade relacional e constante preocupação em entender o negócio de cada um dos nossos clientes, oferecendo assim um elevado nível de serviço.

Também o facto de termos um know-how acumulado em mercados estratégicos para empresas portuguesas, como os PALOP e Brasil, nos confere uma diferenciação crítica, que nos posiciona como parceiros estratégicos de empresas que estão a internacionalizar-se para esses mercados.

fernando1P.F.: Das soluções referidas por si, quais as que geram maior procura?

F.A.: É recorrente os nosso clientes optarem por um conjunto integrado de soluções Sendys.
Ainda assim, poderemos destacar a nossa solução Comercial & CRM, que, claramente, se destaca de outras soluções com projeção e dimensão global.

P.F.: Em que países a Sendys está presente?

F.A.: A Sendys está presente em Angola, Moçambique, Cabo Verde e Brasil, que representam para a empresa 40% do volume de negócios.

Foram também estes mercados externos que permitiram à Sendys fechar 2013 com um crescimento de 14%, concluindo o exercício fiscal do ano passado com um volume de negócios de 6,4 milhões de euros.

P.F.: Existe algum plano de internacionalização para novos mercados, actualmente em curso?

F.A.: Neste momento, estamos focados no crescimento nos mercados nos quais já estamos presentes, e em cimentar a nossa posição no Brasil.
A nossa entrada neste mercado foi criteriosamente planeada e fizemos um levantamento minucioso das variáveis que nos têm conduzido, e esperamos que continuem a conduzir, a tomadas de decisão conscientes e informadas.

O Brasil é um país muito grande, com caraterísticas de um continente, cuja legislação e regras variam bastante entre as várias regiões, daí a maior dificuldade. Estamos já a atuar no Brasil, mas ainda numa fase de aproximação ao mercado, pois o potencial é enorme e temos que interpretá-lo de forma rigorosa e gradual.

Numa primeira fase, a estratégia é apostarmos num produto local, através da aquisição de uma empresa em São Paulo, com ERP próprio. O volume do investimento ronda os 2M€, e devemos concluir este processo em breve.

Esta decisão estratégica foi tomada tendo em conta a enorme dificuldade em localizar o nosso produto. Pretendemos distribuir alguns dos nossos produtos nas áreas dos processos que não tenham a influência das questões fiscais.

P.F.: Qual dos mercados representa uma maior facturação?

F.A.: Dos 40% da nossa faturação que correspode aos mercados externos, o mercado que tem mais peso é o de Angola, logo seguido por Moçambique, depois Cabo Verde e por fim o Brasil.

P.F.: A Sendys envolveu-se recentemente num projecto de voluntariado. Em que consiste e qual o papel da vossa empresa?

F.A.: O envolvimento da Sendys com o Banco Alimentar e Entrajuda já vem de há muitos anos. É o software Sendys que gere toda a logística e operações diárias do Banco Alimentar.

Desde sempre que a responsabilidade social assumiu um papel estruturante para a cultura da Sendys.
No caso deste projeto em concreto, O Dar e Receber e o Banco de Bens Doados foram desenvolvidos pela Sendys, articulando a plataforma do site com o software Sendys que gere todo o processo entre a oferta e a procura, quer de bens, quer de mão-de-obra.

A Sendys desenvolveu as funcionalidades dos dois sites e o webdesign, integrando-o com o software Sendys que faz toda a gestão logística, que proporciona o encontro de interesses entre quem tem necessidade dos bens e mão de obra e as empresas e entidades que os pretendem oferecer.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário