Empresas financeiras são as que melhor aproveitam as oportunidades do Big Data

7832
0
Share:

As organizações europeias de serviços financeiros estão à frente no que toca ao aproveitamento da oportunidade do big data, de acordo com um novo estudo patrocinado pela Ricoh.

Metade dos líderes dos serviços financeiros inquiridos (49%) afirmou que a sua organização tem agora menos de 10% de dados cruciais guardados somente em formato papel, em comparação com os das áreas da educação (37%), saúde (39%) e setor público (41%).

A mudança no sentido de digitalizar mais informação terá sido impulsionada pelo reconhecimento do enorme valor que os documentos em papel encerravam, e que permitiria às organizações tomar decisões de negócio mais informadas. Quase 9 em cada 10 (86%) dos líderes na área de serviços financeiros acredita que ter acesso a dados históricos da anterior recessão económica teria ajudado a gerir melhor a atual, em comparação com os líderes do setor público (77%), educação (78%) e saúde (79%).

A digitalização de documentos cruciais para as empresas tem também tido um considerável impacto positivo nos custos operacionais. Mais de um terço (35%) das organizações de serviços financeiros referiu ter reduzido custos de armazenamento de informações em suporte físico para menos de 5% do volume de receitas, ultrapassando novamente a educação (11%), o setor público (13%) e a saúde (26%).

Na opinião de Carsten Bruhn, Vice-Presidente Executivo da Ricoh Europa, “O enfoque nos processos documentais críticos desbloqueará informações preciosas para suportar uma melhor gestão financeira e de risco. Se integrados eficazmente com outros dados espalhados pela empresa, as tendências e os conhecimentos de dados históricos relevantes podem contribuir para melhores decisões relativamente a áreas tais como previsão e investimentos, ajudando a garantir que o setor dos serviços financeiros está preparado para o futuro.”

As organizações de serviços financeiros procuram digitalizar dados cruciais para as empresas em formato papel mais rapidamente que os seus colegas na educação, saúde ou setor público. Um em cada cinco líderes de serviços financeiros espera que a sua organização tenha concluído a digitalização destes documentos ao longo do próximo ano, em comparação com 7% dos líderes na saúde e educação e 9% no setor público. Como resultado, as organizações de serviços financeiros continuarão a reduzir custos, com metade (48%) a contar poupar entre 5 a 10% do volume de negócios atual.

Bruhn acrescenta “Agora é o momento de as organizações financeiras assegurarem que todos os processos cruciais para as empresas são totalmente otimizados como parte do processo de transformação digital. Além das poupanças significativas ao nível de custos, permite aos profissionais não só aceder à informação de forma imediata, mas também partilhá-la mais rapidamente, melhorando a capacidade de resposta e a colaboração a nível interno. Ao avaliar os respetivos processos, a tecnologia e o acesso que os colaboradores têm aos dados, as organizações de serviços financeiros ajustar-se-ão para se tornarem mais ágeis e competitivas à medida que progridem na transformação digital.”


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário